21 julho 2014

O APAGÃO NO SOL - O NÚMERO DE MANCHAS SOLARES É QUASE ZERO - ATUALIZADO


O total silêncio do Sol há mais de 6 dias é um acontecimento que não se vê há quatro anos.

A atividade solar é extremamente baixa, com fraco vento solar, sem erupções e um número de manchas solares perto do ZERO.
As probabilidades de um alargamento significativo são de 1%.

O comportamento do sol tem desafiado os pesquisadores que na verdade não sabem o que está acontecendo porque essa situação muito rara não deveria estar acontecendo num período de pico solar (mesmo que um mini máximo solar). 

As manchas solares cairam drasticamente numa das faces do Sol (a que se encontra de frente para a Terra), mas não significa que o "outro lado" esteja assim também. Nos próximos dias conforme a rotação do Sol, poderemos observar se o comportamento anamôlo é o mesmo do outro lado. 

Espero que esse "apagão" no Sol não esteja relacionado com o "apagão" das sondas stereo da Nasa que começou no dia 7 de julho. Nunca podemos descartar nada!!

Se for a calmaria antes da tempestade, poderemos estar diante de um tsunami solar, e dado o fato de que a atividade solar influencia no comportamento e efeito BIOLÓGICO humano, as coisas podem tornar-se crítica.

...A radiação produz a corrente elétrica que opera de forma adaptativa do organismo como um todo. O sistema energético inteira dos seres vivos é controlada por energia radiante e forças elétricas...
...O que perturba o campo magnético da Terra, perturba o campo magnético em torno dos seres humanos...
...AL Tchijevsky , um cientista russo, que apresentou um documento à American Meteorological Society, na Filadélfia no final do século 19 investigou a história de 72 países no período, observando sinais de inquietação humana, como guerras, revoluções, motins, expedições e migrações, além do número de pessoas envolvidas. Tchijevsky descobriu que 80% dos eventos mais significativos e uma mudança aguda no personagem psíquico da humanidade acontece nos máximos solares...
Leia mais em:

Ravena

Fontes de pesquisa:
http://www.spaceweather.com/archive.php?view=1&day=20&month=07&year=2014
http://www.lmsal.com/solarsoft/latest_events/

ATUALIZAÇÃO

Como não acredito em coincidências, este artefato em cima do Sol pode ter relação com o apagão. 


Só é possível observar o artefato no filtro EIT (Extreme ultraviolet Imaging Telescope). As imagens abaixo mostram a atmosfera solar em diferentes comprimentos de onda, ou seja, mostra a massa solar em diferentes temperaturas. Os identificadores das imagens indicam em qual comprimento de onda, em Angstroms, foi feita a sondagem. 

Na imagem feita a 304 Angstroms o material mais claro situa-se entre 60 mil e 80 mil graus Kelvin. Na foto feita em 171 Angstroms, a temperatura situa-se na casa de 1 milhão de graus Kelvin. 
Em 195 Angstroms a temperatura corresponde a 1.5 milhão de graus Kelvin e em 284 Angstrom a 2 milhões de graus Kelvin.
Quanto mais alta a temperatura, mais alto você estará vendo a atmosfera solar.

Imagem e informação sobre os filtros do site Apolo 11

Aqui estão as fotos mais recentes publicadas no site da Nasa




Até o momento consta apenas um apagão do O EIT 284 (2 milhões de graus kelvin)



Não é necessário cadastro no blog, pode selecionar a opção Anônimo, mas registrem um nome, um apelido. Comentários Anônimos não serão publicados.