28 julho 2014

Campo magnético da Terra enfraquece 10 vezes mais rápido do que pensávamos

Não há nada nesta matéria da hypescience e dailymail que a gente já não saiba e que vem sido postado há anos aqui no e em outros blogs. Eu venho dizendo há anos também que o "problema" não são as explosões solares que nos atingem, mas o enfraquecimento dessa "proteção" terráquea contra os "perigosos" raios cósmicos e como isso afeta o clima na Terra. 
Particularmente, não vejo a hora do campo "sumir" por algum tempo. Leia mais em: Os patinhos de borracha
Os grifos na matéria são meus.  

Ravena



De acordo com dados coletados por satélites da Agência Espacial Europeia (ESA), o campo magnético da Terra vem enfraquecendo ao longo dos últimos seis meses, a uma taxa bem mais rápida do que imaginávamos.



Os maiores pontos fracos no campo magnético – com extensão de 600.000 quilômetros acima da superfície do planeta – surgem sobre o Hemisfério Ocidental, enquanto que o campo tem se reforçado em áreas como o sul do Oceano Índico, de acordo com os magnetômetros a bordo do conjunto de três satélites flutuantes chamado Swarm.

Os cientistas que conduziram o estudo ainda não sabem porque o campo magnético está enfraquecendo, mas uma razão provável é que os polos magnéticos da Terra estão se preparando para virar.

Normal até certo ponto

Essa troca dos polos magnéticos não é algo inédito; aconteceu muitas vezes no passado. Uma vez a cada poucas centenas de milhares anos, os polos magnéticos mudam e a bússola passa a apontar sul em vez de norte.

Embora as alterações na intensidade do campo magnético sejam parte deste ciclo de inversão normal, os dados de Swarm demonstraram que o campo está enfraquecendo mais rapidamente do que no passado.

Anteriormente, os pesquisadores estimaram que o campo estava enfraquecendo cerca de 5% por século, mas os novos dados revelaram o campo está realmente enfraquecendo a 5% por década, ou 10 vezes mais rápido do que se pensava.

Assim, a inversão completa que deveria ocorrer em cerca de 2.000 anos, como foi previsto, poderia acontecer mais cedo.

O que isso significa?

Calma, não há nenhuma evidência de que um campo magnético enfraquecido resultaria no apocalipse na Terra.

Durante a inversão de polaridade, não deve haver extinções em massa ou danos da radiação. Pesquisadores acreditam que nossas redes de energia e sistemas de comunicação podem estar em risco, no entanto.

O campo magnético da Terra atua como uma bolha gigante invisível que protege o planeta da radiação cósmica perigosa que o sol vomita na forma de ventos solares. O campo existe porque a Terra tem uma bola gigante de ferro em seu núcleo rodeado por uma camada externa de metal fundido. As alterações de temperatura do núcleo e rotação da Terra agitam o metal líquido em torno do núcleo externo, criando as linhas do campo magnético.

O movimento do metal em fusão faz com que algumas áreas do campo magnético fortaleçam enquanto outras enfraquecem. Quando o ponto de ebulição em uma área do núcleo externo diminui, menos correntes de partículas carregadas são libertadas, e o campo magnético sobre a superfície enfraquece.

Cientistas da ESA esperam usar esses dados para fazer sistemas de navegação que levem em conta o campo magnético, tais como instrumentos de aeronaves mais precisos, dispositivos de previsão de terremotos e de identificação de áreas abaixo da superfície do planeta que são ricas em recursos naturais.


Dr. Mona Kessel, um cientista da Magnetosphere na Nasa disse:
"As partículas muito altamente carregadas podem ter um efeito deletério sobre os satélites e astronautas"

Eu numa área há evidências de que um flip já está ocorrendo. 'A força crescente da Anomalia do Atlântico do Sul, uma área de campo fraco no Brasil, já é um problema ", disse o professor Richard Holme.

O clima da Terra também pode mudar. Um estudo dinamarquês recente concluiu que o clima da Terra tem sido significativamente afetado pelo campo magnético do planeta.

Eles alegaram que as flutuações no número de raios cósmicos que atingem a atmosfera alteram diretamente a quantidade de nuvens que cobre o planeta.

"No momento, não podemos determinar com precisão se ou não o campo da Terra está prestes a virar", disse o Dr. Forsyth. 

Se ocorrer um flip, causaria o enfraquecimento do escudo magnético da Terra por milhares de anos, abrindo as nossas defesas e deixando a radiação cósmica passar. Um aumento na cobertura de nuvens na troposfera e um aumento nos buracos de ozônio polar", acrescentou o Dr. Forsyth.

Auroras poderão ser visíveis todas as noites por toda a Terra quando os ventos solares atingirem a atmosfera. 



Não é necessário cadastro no blog, pode selecionar a opção Anônimo, mas registrem um nome, um apelido. Comentários Anônimos não serão publicados.