30 maio 2010

Centenas morrem em onda de calor indiano

Enquanto chuvas devastam a Europa, um calor mortífero se propaga na Índia, veja a notícia abaixo:


Número de mortos deverá aumentar à medida que a Índia enfrenta temperaturas recordes de até 50 graus  no verão mais quente já registrado desde que começaram os registros em 1800.

Sri Ganganagar é o epicentro de uma onda de calor mortífera que está a afectar a Índia. Naquele que é o local mais quente do país, situado no norte do estado do Rajastão, os termómetros subiram até aos 49.3 graus centígrados. De acordo com a CNN-IBN, as altas temperaturas foram responsáveis por 134 mortes.

Animais também tem sofrid, as organizações de voluntários em Gujarat relatam a morte de morcegos e corvos e dezenas de pavões mortos  numa reserva florestal no estado de Uttar Pradesh.

"Por causa do calor, lagos e outras massas de água foram reduzidas a terra árida, causando a desidratação dessas aves", disse Neeraj Srivastava, um defensor da vida selvagem.

Numa altura em que o país espera pelas chuvas da monção, tudo parece conspirar contra os indianos. A agência Reuters relata que nos locais mais afectados pelo calor as ruas estão desertas durante o dia. Mas os cortes de energia tornam difícil o uso de ventoinhas e ar condicionado. Nas regiões do leste, já se levantaram protestos devido a este problema.

«A onda de calor deve persistir nos próximos três a quatro dias», disse à Reuters o porta-voz do Departamento de Meteorologia da Índia, B.P. Yadav, referindo que a «causa imediata aparece ser a falta de tempestades».

Espera-se que as chuvas da monção cheguem ao interior da Índia no fim-de-semana, mas o ciclone Laila têm atrasado a sua evolução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".