25 setembro 2010

Algumas Notícias da Semana - Setembro - Europa passará pelo pior inverno em mil anos





Europa deverá passar o pior inverno desde 1000 anos, de acordo com meteorologistas polacos
Quinta-feira, 23 Setembro 2010 11:17

Aqueles que esperavam um inverno ameno, vão ficar decepcionados: de acordo com vários meteorologistas polacos, o próximo inverno pode ser o mais frio dos últimos 1000 anos.
Em 2010-2011, vamos tremer de frio.
Tudo por causa da mudança que afecta a corrente do Golfo, este último permitindo manter um equilíbrio climático global. Brevemente, as águas quentes transportadas pela corrente do Golfo deixarão de compensar o ar frio vindo do oceano Árctico. Já podemos ver os primeiros sinais deste fenómeno na península escandinava, segundo os especialistas.
A Corrente do Golfo funciona como um “radiador” para o Norte da Europa, e seu desaparecimento – ou mesmo um ligeiro abrandamento – poderia resultar numa nova Era Glacial.
Tal catástrofe poderá ser acelerada pela explosão da plataforma de petróleo no Golfo do México – onde se forma a Corrente do Golfo. A explosão causou o derramamento de 700.000 toneladas de óleo no oceano. A situação pode mudar drasticamente. Uma parte do petróleo subiu do Mar do Caribe para o Oceano Atlântico, retardando a Corrente do Golfo, que transporta menos água quente.



Cinco Estados e o DF serão os primeiros a emitir o novo RG




Os Estados de Alagoas, Bahia, Maranhão, Rio de Janeiro, Santa Catarina, além do Distrito Federal, serão os primeiros a emitir os cartões RIC (Registro de Identificação Civil), que deve substituir as cédulas de RG.

A definição dos Estados que participarão do projeto-piloto do cartão foi aprovada quarta-feira (15) pelo Comitê Gestor do Sistema Nacional de Registro de Identificação Civil, coordenado pelo Ministério da Justiça. A substituição da carteira de identidade pelo RIC deve ser feita a partir de dezembro deste ano, de forma gradual, ao longo de nove anos.

O governo espera emitir 2 milhões de cartões RIC no lançamento do programa. O cartão terá informações como nome, sexo, data de nascimento, foto, filiação, naturalidade, assinatura, impressão digital do indicador direito, órgão emissor, local e data de expedição e de validade.

De acordo com o ministério, o cartão, com impressão digital e chip, poderá agregar, no futuro, outros documentos --como título de eleitor, CPF e PIS-Pasep.

Fonte: Folha



Tempestade solar altera regras de segurança de voos em Brasília
16/09/2010 23h16 - Atualizado em 16/09/2010 23h25


Decolagens em Brasília serão suspensas entre 14h45min e 15h.
Medidas serão implementadas até o dia 20 de setembro.
O comando da Aeronáutica informou nesta quinta-feira (16) que está implementando medidas de segurança a fim de evitar eventuais problemas causados por uma tempestade solar, que deve afetar o espaço aéreo de Brasília até o dia 20 de setembro.
O fenômeno é uma interferência natural que ocorre por conta do alinhamento entre o Sol e a Terra, causando interferência em sistemas de comunicação, como satélite, e pode durar de 3 a 16 minutos, entre 14h45min e 15h. Durante esse período, todas as decolagens serão suspensas no aeroporto Juscelino Kubitschek.
Em nota divulgada no começo da noite desta quinta, o comando da Aeronáutica afirmou que as decolagens serão suspensas no aeroporto de Brasília cinco minutos antes do prazo previsto de ocorrência do fenômeno. Segundo a Aeronáutica, novas decolagens serão autorizadas “imediatamente após cessar o fenômeno”. Para as aeronaves que estiverem sobrevoando o espaço aéreo de Brasília durante o horário suijeito à ocorrência do fenômeno, serão indicadas frequências alternativas
Ainda segundo a Aeronáutica, todas as medidas já foram comunicadas às companhias aéreas. A Aeronáutica afirmou ainda que as tripulações já “têm pleno conhecimento dos procedimentos a serem realizados”. A suspensão das decolagens durante o período determinado, segundo a Força Aérea, tem caráter preventivo a fim de manter os padrões de segurança de voo.

Fonte: G1  



Clinton abre cúpula filantrópica e alerta sobre catástrofes
21 de setembro de 2010 • 20h20

O ex-presidente norte-americano Bill Clinton abriu na terça-feira uma grande conferência filantrópica fazendo um apelo para que grandes empresas e ONGs promovam o crescimento econômico e se preparem para um número crescente de desastres naturais.




Ahmadinejad: Os atentados de 11 de Setembro são uma “conspiração americana” em parceria com Israel.

As delegações dos Estados Unidos e de países da União Europeia deixaram a sala da Assembleia Geral da ONU ontem (23) durante o discurso do presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, depois que ele disse que os atentados de 11 de Setembro são uma “conspiração americana” em parceria com Israel.
O presidente iraniano disse que “muitas pessoas” acreditam que o governo americano foi o verdadeiro responsável pelos ataques. O objetivo, segundo a versão de Ahmadinejad, seria tentar reverter o declínio da economia americana edo domínio sobre o Oriente Médio e “salvar o regime sionista”.
“A maioria do povo americano e muitos países e políticos pelo mundo concordam com essa versão”, disse.
Citando uma segunda teoria, o presidente iraniano acrescentou: o atentado “foi realizado por um grupo terrorista, mas com o apoio do governo americano, que tirou vantagem da situação”.
A terceira teoria é a que “um grupo terrorista muito poderoso e complexo, capaz de enganar todas as camadas dos sistemas de inteligência e de segurança” dos Estados Unidos, realizou o atentado.
Duas autoridades americanas, que estavam acompanhando o discurso, puxaram a fila de descontentes e saíram da sala, sendo rapidamente seguidas pelas delegações britânica e de outros países ocidentais.
Mais tarde, o representante americano qualificou as declarações de “detestáveis” e “delirantes”.
“Em vez de representar as aspirações e a boa vontade do povo iraniano, Ahmadinejad escolheu de novo falar fora de tom sobre teorias da conspiração e usar palavras antissemitas, detestáveis e delirantes”, disse Mark Kornblau, porta-voz da delegação americana. Correio do Estado
Quando uma acusação, que se diz ser falsa, provoca uma reacção negativa por parte dos acusados, quer dizer que, provavelmente, essa acusação é verdadeira…


Nova Zelândia tem mais 25 baleias mortas e 49 encalhadas

Sydney, 22 set (EFE).- A Nova Zelândia vive novos momentos de tristeza e ansiedade depois que 25 baleias piloto morreram e outras 49 estão encalhadas em uma praia do extremo norte do país, segundo o departamento de Conservação de Wellington.
Voluntários e especialistas se dirigem à remota praia de Spirits Bay, onde os cetáceos ficaram presos.
Em agosto, outro grupo de 58 baleias ficou encalhado em uma praia, também no norte, e apenas nove foram resgatadas. No final de 2009, os 126 animais encalhados em outra praia morreram asfixiados.
Os cientistas não sabem explicar a razão que leva algumas espécies de baleias a morrer encalhadas nas praias, e especulam a possibilidade de elas serem atraídas pelos sons de grandes navios ou seguirem líderes de grupo desorientados por conta de doenças.



Polícia francesa admite risco de atentado terrorista no país
23 de setembro de 2010 • 05h52

O diretor-geral da Polícia Nacional francesa, Frédéric Péchenard, admitiu, nesta quinta-feira, estar preocupado com a possibilidade de que atentados ocorram na França.
"A ameaça terrorista existe, é real. Neste momento estamos em um contexto especial. Temos um pico de periculosidade e uma inquietação", afirmou Péchenard, em entrevista publicada pelo jornal Libération.
O chefe da Polícia francesa explicou que, no último dia 16 de setembro, recebeu durante a madrugada informação de "um serviço amigo" que advertia sobre um possível atentado terrorista no mesmo dia, e por isso decidiu aumentar as medidas de vigilância em espaços públicos, aeroportos e estações.
"Evidentemente, esta ameaça perdeu credibilidade por não ter acontecido nada" no dia, afirmou. Péchenard confirmou também que seus serviços receberam informação sobre um possível ataque terrorista por parte de uma mulher suicida, mas afirmou ao jornal que "parece pouco crível nos dias de hoje".
O diretor-geral da Polícia explicou que, segundo informações da Unidade de Coordenação da Luta Antiterrorista (Uclat), o grupo Al-Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) fixou a França como alvo, como demonstra o recente sequestro de cinco franceses no Níger por esta organização.
"Antes os jihadistas se referiam também à Espanha e a Inglaterra, mas hoje é exclusivamente a França que está no ponto de mira da AQMI", garantiu.
Péchenard pediu serenidade, e comentou que o papel do governo e da polícia é "informar, sem alarmar" e lembrou que, em território francês, foram evitados atentados terroristas desde o ano de 1996, quando uma bomba causou quatro mortes em uma estação de Paris.

7 comentários:

  1. O plano naziSSionista-americanalha era invadir a Arábia Saudita (1ª em riqueza de combustíveis fósseis) e de onde os Bushs tinham negócios com a família de Bin Laden; depois atacar o Iraque (2º maior produtor de petróleo), em seguida o Irã (3ª maior nação em riqueza....).
    Mas como iriam justificar atacar um país tão próspero como a Arábia?
    Resolveram ameaçá-la e inventaram que o Bin tinha fugido para o Afeganistão, um país pobre mas rico em minério Lítio (minério usado para fabricar baterias de portáteis).
    Em seguida, a invasão ao assediado regime do Iraque pelos ataques diários de bombardeiros britânicos, naziSSionistas e americanos.
    Agora estão tentando derrubar o Irã, mas os erros dos inteligentes na CIA e moSSad está causando um pesadelo que põe em risco a grande mentira do holocausto e a grande novidade de um presidente afro descendente!!!
    As coisas estão ruindo para ambos, enquanto os mercados se fecham e os olhos se abrem para as verdades encobertas......

    ResponderExcluir
  2. 22/09/2009
    às 5:51
    Israel nega ter descartado ataque ao Irã

    Na Folha, da AP:
    Israel negou ontem ter dado garantias ao presidente russo, Dmitri Medvedev, de que não pretende atacar o Irã.
    “Todas as opções continuam na mesa”, disse o ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, ao jornal “New York Times”.
    Já o chefe do Exército, general Gabi Ashkenazi, afirmou à mídia israelense que “Israel tem o direito de se defender” e insistiu em que “a possibilidade de o Irã se tornar uma potência atômica é uma ameaça não somente para Israel, mas para todo o mundo livre”.
    O vice-chanceler Danny Ayalon declarou que não há “nenhuma garantia” de que Israel tenha desistido de bombardear o Irã e criticou Medvedev. “Não acho, com todo respeito ao presidente russo, que ele esteja autorizado a falar em nome de Israel, e certamente não retiramos da mesa nenhuma opção [em relação ao Irã]“, afirmou.
    As declarações visavam desmentir Medvedev, que, em entrevista na semana passada, disse ter ouvido pessoalmente do colega israelense, Shimon Peres -que é chefe de Estado mas não de governo-, a promessa de que Israel não tem intenção de atacar o Irã.
    “Quando o presidente israelense me visitou [em agosto], ele me disse uma coisa importante para todos: que Israel não planeja nenhum tipo de ataque contra o Irã e que Israel é um país pacífico”, disse Medvedev.
    Embora seja a única potência atômica da região, Israel considera o programa nuclear de Teerã uma ameaça à sua existência e deixou no ar reiteradas vezes a possibilidade de bombardear as centrais iranianas.
    Aos olhos de Israel, os esforços diplomáticos para pressionar o Irã a suspender seu enriquecimento de urânio não surtirão efeito, o que abre caminho para a opção militar. Aqui
    Por Reinaldo Azevedo

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/israel-nega-ter-descartado-ataque-ao-ira/

    ResponderExcluir
  3. Os generais russos falam sobre o ataque americano ao Irão

    Posted by Clavis Prophetarum em 2007/04/23


    Tor M-1 (http://www.chinadaily.com.cn)

    Segundo declarou numa conferência de imprensa o general Yuri Solovyov, o responsável máximo pela Defesa Aérea de Moscovo: “De acordo com as nossas estimativas, o sistema de defesa aérea do Irão é bastante forte.” (…) “As armas do Irão, entre outras fontes, incluindo sistemas anti-aéreos que lhes permitirão combater todos os tipos de aeronaves actualmente em serviço nas forças armadas dos EUA… Além do mais, recordem-se de que os nossos especialistas os treinam desde os tempos soviéticos.”

    A Rússia finalizou a entrega de sistemas anti-aéreos Tor-M1 ao Irão, criando uma onda de protestos nos EUA e em Israel, ao que a Rússia responder afirmando que os Tor-M1 eram sistemas de curto alcance e logo, puramente defensivos.

    Na mesma conferência de imprensa, o general Sergei Razygrayev, acrescentou “A situação actual é que o lado atacante (os EUA) tem armas mais modernas e poderosas e usufrui de supremacia em quantidade, comparadas com as defesas iranianas. Eles (os americanos) são capazes de criar uma tal superioridade quantitativa que poderão cumprir os seus objectivos, embora também venham a sofrer perdas.” Uma semana antes, o chefe do Estado Maior russo, Yuri Baluyevsky afirmara por seu lado: “Os EUA poderão danificar o potencial industrial e militar do Irão, mas é impossível vencer.”

    Questionado sobre as análises e projecções russas sobre este possível ataque, o general Sergei Razygrayev declarou que os peritos militares russos analisaram os padrões de ataques americanos na Jugoslávia e no Iraque e concluiram que qualquer ataque ao Irão deveria começar por procurar suprimir os sistemas de radar iranianos e depois, numa segunda vaga lançar uma onda massiva de mísseis de cruzeiro, avançando só depois, as várias vagas de ataques com aviões convencionais e steatlh.

    Os generais russos e os seus serviços de informações começaram por antever para 9 de Abril o ataque dos EUA ao Irão… Depois passaram a data para a segunda metade de Abril… O que se passará? Terá havido um cancelamento do ataque por parte dos EUA devido à captura dos marinheiros britânicos? Terá havido um erro nas fontes russas no Irão, agora que as relações entre a Rússia e o Irão esfriaram devido à redução dramática da colaboração russa no programa nuclear iraniano?

    Bem… De qualquer modo, o mês de Abril ainda não chegou ao fim…

    Fonte: Reuters

    http://movv.org/2007/04/23/os-generais-russos-falam-sobre-o-ataque-americano-ao-irao/

    ResponderExcluir
  4. Se todos, diante da ação mercantilista guerreira chinesa, terão que, de alguma forma, desvalorizarem suas moedas, ocorrerá, consequentemente, selvageria monetária em marcha.
    Sai de cena a guerra convencional, tocada pela moeda simbólica que faliu, para a guerra econômica, impulsionada pela falência monetária global, expressa nos dólares podres em poder dos chineses que buscam desová-los à custa do sacrifício dos outros.
    Eis a terceira guerra financiada pela moeda podre. Trata-se da nova face do capitalismo predador vigente na grande savana africana global. As bombas atômicas estocadas nos depósitos de Tio Sam teriam alguma serventia para conter a escalada do dragão chinês, se ele está falido e sem bala na agulha para acioná-las?

    ResponderExcluir
  5. Ex-oficial promete revelar segredos de OVNIs.
    Segunda-feira, 27 de setembro de 2010 - 12h38

    SÃO PAULO – Em coletiva de imprensa marcada para hoje nos Estados Unidos, ex-militares afirmam que irão revelar diversas intervenções feitas por ÓVNIS em bases militares.

    Seis ex-oficiais da Força Aérea americana e um ex-alistado convocaram jornalistas para o salão do National Press Club, em Washington.

    http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/ex-oficial-revelara-segredos-de-ovnis-27092010-24.shl

    ResponderExcluir
  6. http://www.youtube.com/watch?v=5_9gMn1OYPw&feature=player_embedded#!

    pqp...

    ResponderExcluir
  7. Esse RIC é etapa intermediária para a agenda de implantação do chip de identificação discutido no vídeo Zeitgeist e que o Padre Jonas Abib falava (revelava em 1994/1995) que era a marca da besta do apocalipse!
    (Confira: http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/133/Chips-dentro-do-corpo-substituirao-cartoes-de-credito)

    ResponderExcluir

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".