18 julho 2011

Planos de Resgates da Zona do Euro são uma ilusão e a Novela do Dólar


Surgem advertências em todo o mundo sobre o colapso da zona euro. O assunto é abordado abertamente, finalmente, nos meios de comunicação de massa. Está se tornando cada vez mais claro que os planos de resgate são uma ilusão. Eles são matematicamente impossíveis. – O barco salva-vidas tem uma capacidade limitada. Se toda a gente quiser evitar o afogamento, o naufrágio total é garantido. O Euro irá afundar-se? E com o euro, todo o sistema financeiro mundial?

Michaela Hein para news 26

Não realmente surpreendente mas tardio, o tema do “colapso do Euro” encontra agora seu lugar na grande mídia em muitos países europeus, à excepção da França! o que news26 sugere à mais de um ano é tratado hoje no jornal mainstream alemão “Die Welt” sob o título:.”Os investidores preparam-se para o colapso da zona euro”. Após uma profunda pesquisa, não existem artigos nessa direção publicados na mídia francesa. Como de costume, tentam não assustar a população, escondendo a verdade e privando-a da oportunidade de se preparar para o pior …

Nota Prova Final: em Portugal acontece o mesmo…

No entanto, falar sobre o colapso da zona euro já não é tabu em outros países. Os analistas aconselham os seus clientes a prepararem-se para um cenário de terror. Alguns investidores, aparentemente, já apostam no colapso da zona euro. “O gatilho é a Itália”, escreveu Credit Suisse a seus clientes . Além disso, os japoneses da Mitsubishi UFJ Securities aconselharam a seus clientes a se preparar para esta eventualidade. O tabu de não ter de falar sobre isso está desmoronando… News-26

Últimas do dia:



Resumo da situação:

A Itália está à rasca e a fazer de tudo para evitar que as taxas de juros expludam, se isso acontecer nada poderá para-las. Também sabemos que os planos de resgate são ilusório e são matematicamente impossíveis, mas mesmo assim, o fundo Europeu já avisou que não conseguirá resgatar a Itália.

O ouro atingiu hoje, mais uma vez, níveis históricos,… Este é o momento para concluir os preparativos … os mais optimistas dizem que o Euro ainda aguentará até à primavera de 2012, muitos especulam para o outono 2011 … Não se deixe enganar, a situação na zona euro já não é controlável, os bancos podem fechar a qualquer momento. Talvez o sistema aguente até 2012, ou,… talvez não.

E enquanto isso no país do Tio Patinhas....

Negociação sobre teto da dívida dos EUA continua estagnada no Congresso

As negociações capitaneadas pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, entre republicanos e democratas continuam estagnadas. O acordo pretende estabelecer um plano de redução do déficit nos Estados Unidos que permita elevar o limite de endividamento. Todos os esforços para votar a ampliação deste limite se explicam pela possibilidade do país declarar moratória se as novas medidas não forem implementadas. De acordo com o Tesouro dos EUA, o país não terá condições de pagar suas dívidas nas próximas duas semanas.

Leia mais:

- Para evitar recessão, Obama convoca reunião para ampliar teto da dívida nos EUA
As divergências giram em torno de aumento de impostos e redução de gastos sociais. O presidente e os democratas querem aprovar um pacote de medidas fiscais que inclui taxar as grandes fortunas, medida inadmissível para os republicanos, defensores unicamente do corte de gastos sociais.

“Se vamos pedir aos idosos, aos estudantes, às famílias de classe média que se sacrifiquem, temos de pedir às corporações e aos americanos mais ricos que compartilhem desse sacrifício”, considerou Obama, em recado direto aos republicanos e sua resistência em aumentar os impostos para os mais ricos.

A proposta republicana, que deve ser apresentada no Congresso na próxima terça-feira (19), inclui US$ 2,5 trilhões em cortes de gastos, congelamento dos gastos governamentais em uma porcentagem determinada pelo PIB e uma emenda sobre o equilíbrio do orçamento – sem qualquer menção a aumentos de impostos.

“Precisamos de um enfoque equilibrado, com sacrifícios compartilhados e a disposição para tomar decisões impopulares”, afirmou Obama.

Os republicanos, maioria na Câmara de Representantes, se opõem a qualquer carga impositiva com o argumento que afetaria uma recuperação econômica ainda muito fragilizada. “A solução para as crises da despesa não são os aumentos de impostos”, disse o senador republicano de Utah, Orrin Hatch.

O presidente Obama e os democratas já cederam e se mostram favoráveis a cortar parte do orçamento destinado aos programas sociais e de saúde, mas exigem que o acordo inclua uma alta de impostos para equilibrar o orçamento com ingressos fiscais.

Com informações da Opera Mundi e agências

Fontes:

E o Brasil é  o quarto maior credor da dívida pública dos Estados Unidos (clique aqui)

O FIM DO DOLLAR E A INFLUENCIA NO REAL


























3 comentários:

  1. Oi Ravena.

    O Circo esta armado...só nos resta vê-lo pegar fogo.
    E tem aqueles que ainda acham que o "Euro" é a salvação e que os EUA jamais vai pedir falência.
    Tudo caminha de acordo com a "agenda" e em breve veremos o que já esta sendo anunciado há muito tempo...O mundo entra numa recessão capitaneado pelo EUA e paises europeus e todos os povos pagam pela farra de uma "elite" desumana que esta preocupada tão somente com eles mesmos...Tudo isso é para que seja implementada a NOW.
    Sinceramente, espero não ver isso se vingar e com a força de todos os povos unidos para desmantelar estas safadezas que já perduram nos anais do tempo, espero ver um mundo mais fraterno sem as loucuras deste sistema de opressão que só beneficia esta "elite" podre.

    Abraços fraternais
    Sávio Martins.

    ResponderExcluir
  2. Li no New York Times que (sic) os dias do crescimento da China também estão contados: eles (também) estão usando fórmulas matemáticas mirabolantes para enganar os trouxas e se endividando até o pescoço para modernizar as cidades. Segundo o NYT em menos de 10 anos o modelo se esgota e vai para recessão durante décadas...

    ResponderExcluir
  3. Vou postar aqui o que escrevi no "Um novo despertar":
    Fico me perguntando sobre o desespero em "ajudar" a Grécia. Perto das dívidas de Portugal, Espanha e principalmente a da Itália, a situação da Grécia não deveria causar tanto alarde. Ontem liberaram mais um "pacote" de mais de 100 bi para um país que praticamente não exporta nada e investe apenas 0,5% do PIB em pesquisas.Como a Grécia irá gerar receita a ponto de pagar seus compromissos antigos e futuros? É o país mais corrupto da zona do Euro e tabém o que tem a sociedade mais militarizada. Por tudo isso, me parece que deram uma arma carregada para quem está sedento por um suicídio.

    ResponderExcluir

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".