12 outubro 2011

O "Fim" do calendário maia, Flare Solar e Alterações da Terra por Calleman



Calleman expõe no seu mais recente artigo, o que podemos esperar do fim do calendário maia que de acordo com seus estudos, será em 28 de outubro de 2011, os efeitos dessa onda de evolução na economia, na geologia da Terra e expõe também a incrível coincidência entre os inícios dos ciclos e as mais recentes e intensas erupções solares. Infelizmente, diante do acobertamento da Nasa em relação a atividade mais recente do Sol, duvido que poderemos comprovar as relações, mas um padrão recente existe, assim como outros que observamos no decorrer deste ano. Boa leitura!


Agradecimentos ao Fernando do blog O Farol do Buscador pelo envio do link. 


Ravena


O "Fim" do calendário maia, Flare Solar e Alterações da Terra


Como previsto a onda Nona deste plano, que está chegando ao fim, juntamente com as ondas de outras do calendário maia em 28 de outubro de 2011, trouxe um aumento da frequência tremenda para o mundo. Isto foi observado em um nível pessoal por muitos, mas também tem sido facilmente visível na disseminação do caos político e econômico em grandes partes do mundo. A instabilidade atual é evidente não só no que está realmente acontecendo, mas também nas mudanças constantes na forma como os eventos ou desenvolvimentos são percebidos e relatados. Grécia, por exemplo, em um dia disse ser falido, e vem à tona novamente com a ajuda da troika, e no dia seguinte está de novo a ser dito à falência. Um dia, o regime Kadhafi caiu e outro está novamente lutando apenas para ter caído no dia seguinte novamente.

Neste mundo incerto de interpretação da mídia alternativa na Internet têm ido para tentar preencher a lacuna, por vezes, falar com total certeza sobre catástrofes iminentes. Lá, um dia o Elenin cometa é dito para criar terremotos e para definir o fim do mundo, o próximo que ela não existe e então ele está de volta (ou era planeta X?). Qualquer coisa, não importa o quão louco ou exagerado, pode hoje encontrar um público atento no YouTube e ser apresentado como se fosse informação séria. À instabilidade do mundo tem, portanto, foi adicionado o caos da informação e é um sentimento comum entre muitos que não sabem quem ou no que acreditar mais. O quadro mental no qual as pessoas têm entendido que o mundo está erodindo e isso, tanto quanto o curso dos acontecimentos, é um sinal dos nossos tempos. Alguns rejeitam o significado da compreensão mental completo.

Esta erosão prepara o terreno para uma nova abertura e mudança radical em nossas maneiras de pensar e de se relacionar e atesta o fato de que grande parte do mundo foi sacudido o seu equilíbrio anterior pela onda Nona. Subjacente a tudo isto, podemos encontrar uma expectativa um pouco nervoso de algo desconhecido e dramática que está a acontecer. Não é de estranhar que nas mentes de muitas pessoas essa expectativa tem sido amplamente negativo. Afinal, o desenvolvimento da onda Nona tem sido essencialmente previsível de acordo com Apocalipse 16, onde é os sete dias que trazem a maior parte da destruição de antigas estruturas do mundo. Assim, o progresso ao longo das rotas de idade tem passo a passo foi bloqueado e a experiência de um beco sem saída para a nossa atual civilização se espalhou com pouca ou ainda amostras em termos de alternativas. As novidades que foram gerados pela onda de Nona, assim, no mundo em geral foram poucos e distante no meio. Enquanto muitos podem ter tido despertar interno da unidade as manifestações externas desses têm sido muito marginal.

Como parte da erosão do mundo atual que eu havia previsto em um ponto relativamente cedo, muito corretamente, que o quinto dia da onda Nona seria a energia que poderia precipitar a crise econômica (E a economia pode ser o melhor espelho de como os humanos se relacionam entre si). Este foi na verdade também o momento em que os chamados "mercados" verdadeiramente começaram a ser afetado pela crise de crédito global, que desde então todos os pontos com nova mudança da onda Nona continuou a se aprofundar. A natureza prolongada da crise não muda o fato de que estamos indo em direção a um colapso do sistema econômico e político do mundo e não há sinais de que isso poderia ser evitado. Crescimento em países-chave como os EUA e a Alemanha chegou a um impasse (para não mencionar a Grécia e Itália), que na prática bloqueiam todas as tentativas para o pagamento de dívidas.

A crise econômica tem mostrado alguns elementos surpreendentes, como o desejo expresso de um coro de super-ricos para mais gravosamente e a possibilidade de que a China vai comprar dívida da Itália ou de outros países euro para mantê-los à tona. Eu no entanto acho difícil de acreditar que nada disso realmente aconteça e a sensação que se tem é que os governantes estão a esgotar-se de truques. Apesar do beco sem saída, ela pode, contudo, provavelmente se dizer que a vida em grande parte do mundo ainda aparece muito como business a usual. Assim, nenhuma ocorrência foi ainda suficientemente poderosa para precipitar o colapso que muitos estão esperando ou temendo e agora parece que isso não irá acontecer até o sétimo dia da nona onda, 11-28 outubro. Se assim for, o fim do calendário pode tornar-se uma descontinuidade muito marcada.

O que estamos testemunhando é, portanto, não uma recessão, mas o fim do sistema capitalista mundial e os protestos em os EUA contra o "Wall Street" pode ser uma indicação tão boa quanto qualquer um desses. Um no entanto se a impressão de que, enquanto o antigo sistema sobrevive não há abertura real para criar um mundo novo para substituí-lo. Para fazê-lo seria demais em conflito com a legalidade da actual estrutura de poder dualista e somente após algum tipo de colapso total ocorrendo é que as pessoas em geral, serão obrigadas e inspiradas para criar uma nova maneira de viver e se relacionar nos domínios da política e economia. Para evitar tal mundo novo de nascer também podemos estar certos de que quando o colapso vier, será apresentado pelos poderes que é uma crise temporária. Tal ilusão pode, então, passaram a dominar muitos que não têm a perspectiva do calendário maia de uma evolução no sentido de consciência da unidade e isso também destaca o risco de se acreditar naqueles que dizem que o calendário termina em 21 de dezembro de 2012, que é algo que vai jogar direito nas mãos daqueles que querem ressuscitar o velho sistema.

Além do caos político e econômico aprofundou a onda Nona também trouxe uma intensificação marcante de muitos tipos de desastres naturais, por vezes, em lugares que nunca foram vistas antes. Isso tem gerado um interesse imenso em todos os fenômenos tais e um gênero de catástrofe fascínio surgiu na internet, onde alguns estão vomitando para fora a informação de desastres naturais, sem fornecer qualquer contexto ou explicação de porque eles podem estar acontecendo agora. Tais eventos incluiriam erupções solares, cometas, terremotos, inundações, ondas de calor e ventos extremos, muitos dos quais têm aumentado na onda Nona.

Alguns desses desastres naturais que têm vindo a intensificar (calor, enchentes e frio ondas, incêndios, ventos extremos) são em parte causadas por efeitos humana sobre o clima, mas o mesmo não pode ser dito sobre os fenômenos sísmicos que estão fora de nosso controle para causar ou manipular. Isto é ainda mais o caso para Mudanças na Terra, gerando alteração nas costas etc, que foram inicialmente previsto por Edgar Cayce, mas erroneamente previsto para ocorrer no ano 1958-1998. Dado o grande interesse hoje em dia, é pertinente perguntar se eles de alguma forma poderia ser parte do plano cósmico e, portanto, ser previsível a partir do calendário maia. 


Em O Calendário Maia e a Transformação da Consciência (2004) eu escrevi: "Pelo menos algumas mudanças na Terra podem ser o menor resultado da mudança de alta freqüência na consciência de que o cosmos está passando. Mas a inversão de causa e efeito para gerar uma visão do fim do mundo onde mudanças na Terra, tais são apresentados como o propósito desta fase particular da criação é insustentável. Eventuais efeitos físicos devem ser vistos apenas como produtos de mudanças no campo de consciência [...] "e eu ainda considero esta afirmação como válida e importante. Desde a mudança de alta freqüência na onda Nona está operando em vários níveis do universo simultaneamente, como cósmica, galáctico, solar, planetária e humana, seria de esperar para vê-lo manifestado em todos estes. Embora possa ser difícil de estudar a sua manifestação sobre os níveis cósmicos galácticos ou parece possível fazê-lo no nível do sol, que está recebendo cada vez mais atenção por suas chamas. São essas erupções, a maior das quais dentro da onda Nona foram resumidos abaixo e relacionadas com o calendário maia?


Esta é uma pergunta complexa, que exigiria dados acumulados ao longo de períodos grandes de tempo a ser analisado que  essencialmente falta. No entanto, é digno de nota na lista acima que houve uma grande explosão solar no início da Nona onda em 9 de março, bem como aqueles que estão no início do quinto e sexto dias. 


Hipoteticamente, poderia então existir um vínculo entre estas chamas e a onda Nona do calendário maia. Mesmo que uma intensificação da atividade solar é esperado como parte de qualquer ciclo regular solar, o que é inesperado na atual é que esta atividade parece ter sido adiada por vários anos e se torna evidente somente agora em sincronia aparente com a onda Nona. Se isso for verdade uma intensificação das tempestades solares seria esperado para o final da onda Nona em seu sétimo dia a partir de outubro 11.

Quando se trata de atividade sísmica no nosso planeta, o link para o calendário maia é mais clara como eu tenho discutido em O Universo intencional. Assim, a deriva continental é causada por pulsos a partir da árvore da vida planetária no submundo de mamíferos e esta deriva (também chamada de Placas Tectônica) é a causa de todos os terremotos e erupções vulcânicas em nosso planeta. 


Uma vez que o calendário está agora prestes a chegar a um fim, assim, também podemos perguntar se a estrutura continental da Terra, o cérebro global, agora será concluído e se isso vai afetar a estabilidade da crosta da Terra. Se isso acontecer, então talvez, o aumento da atividade sísmica nos últimos tempos, deriva do fato de que o núcleo interno da Terra, está agora a se afinar para a transmissão da consciência da nova unidade da Árvore Cósmica da Vida. Tal sintonia fina pode, no entanto a partir da perspectiva de nós que vivemos em sua superfície ser experimentado como particularmente "bom" e poderia de fato ter conseqüências bastante dramáticas. Independentemente, é importante ver que estas são parte de um plano intencional.

Esta é a única explicação razoável que ouvi por que haveria uma intensificação da atividade sísmica neste momento particular, uma intensificação que certamente foi evidente na semeadura da onda Nona através do terremoto e tsunami no Japão. Se houver um aumento da atividade sísmica no momento atual, seria, em outras palavras porque o calendário está chegando ao fim. Enquanto isso é especulativo, eu da minha parte opto por estar em um lugar sismicamente sólido como o calendário se aproxima de seu fim.

É muito provável que esta é a minha última comunicação antes do calendário Maia chegar ao fim em 28 de outubro de 2011, pode agora também ser em seu lugar para discutir um pouco o que este "fim" pode significar e, claro, é uma questão que tem sido discutido por algum tempo. 


A minha resposta básica seria que o universo atinge seu mais alto estado quântico e cria uma nova fase para a vida (no topo da pirâmide de nove andares). É, portanto, um equívoco comum que um ciclo de "novo" começará após o calendário chegar ao fim. Este é um equívoco porque o que está chegando ao fim não é um ciclo para começar, mas nove ondas lineares dirigidas evolutivas. 


O único aspecto do sistema de calendário profético maia que pode ser descrito como cíclico é o tzolkin 260 dias e este é o único ciclo que chegará ao fim. No entanto, mesmo que este ciclo seja importante como uma matriz das energias da criação e da ressonância pessoal com sinais dia, não desempenha nenhum papel na condução da evolução em grande escala do universo ou a evolução da consciência.

Com isso em mente eu vejo três possíveis alternativas que podem seguir depois que o universo tenha atingido seu mais alto do Estado: 


A primeira alternativa, e mais dramático, é que todas as ondas - bem como o ciclo tzolkin - chegou ao fim. Isso provavelmente significa um fim abrupto a todos e futura regulamentação energética de nossas vidas e ações e uma espécie de choque de liberdade. A vida seria vivida plenamente cada momento a momento e cada momento seria uma eternidade que não seria organicamente ligados a outros momentos. 


A segunda alternativa, a qual estou inclinado, é que as ondas finais, depois de ter cumprido seus propósitos evolutivos, e o tzolkin continua a fornecer alguma variação de fundo energético. Isso ainda significa viver momento a momento, sem qualquer ondas que dirigem a nossa evolução, mas uma variação diária de energias tzolkin poderia nos impedir de experimentar a vida como completamente atemporal. 


A terceira alternativa é que não só tzolkin, mas também as nove ondas de criação (Submundos) continuam indefinidamente e o total de picos e vales não se limitando a treze. Isso ainda significa que já não seria subordinada a processos dirigidos, vai da semente à fruta madura, mas não significaria que a vida seria como um eterno agora. Pelo contrário, todas as ondas que estão atualmente dirigindo a nossa evolução vão continuar após a realização da consciência da unidade, mas realmente sem fim.

O último ponto de vista parece ter sido realizada no local de Palenque em tempos antigos, desde datas de calendário profundas para o futuro são mencionados lá, mesmo se as datas em questão não podem ser consideradas como profético. Eu sinto neste momento que não é possível dizer com certeza qual das três alternativas que vai se jogar fora depois que o calendário chegar ao fim, mas qualquer uma equivaleria a uma descontinuidade fundamental e uma transformação significativa, se não total, de nossa experiência de vida. 


Qualquer uma delas significaria o fim de evolução dirigida e à liberdade de apenas ser. Talvez seja porque ouvem este chamado de o "futuro" que, apesar da presença concomitante de alguns presságios negativos no momento atual, eu encontro um grupo notável de pessoas que neste exato momento estão voltando para casa, para si e estão realmente começando a apreciar a vida exatamente do jeito que é. Talvez depois de tudo, o que há é uma mudança de consciência da unidade acontecendo e que o universo está começando agora a permitir-nos ser apenas o que somos.

Carl Johan Calleman
Paris, 30 de setembro de 2011 (11 Eb)


Fonte: Calleman.com


8 comentários:

  1. dia 28 de outubro de 2011 no calendario indu comeca o novo ano...portanto dia 27 é o ultimo dia do ano. :P

    ResponderExcluir
  2. Texto extremamente sem nexo, confuso e vago.

    ResponderExcluir
  3. Justamente no dia 28 de outubro? Mal vou fazer 20 anos -.-

    ResponderExcluir
  4. Oi Ravena, tudo bom? Legal ver essa entrevista do Calleman, ela me lembrou de reler as partes importantes do livro da Barbara Hand Clow, que o escreveu analisando ambos, o Calleman e o Arguelles (para quem a contagem termina em 21.12.2012). Sabe, embora estejamos, inclusive, vendo que algo importante está rolando no mundo neste período - outubro, novembro 2011, mas ainda fico com a data de Arguelles - 21.12.2012. Isto por um motivo que tem amparo astronômico - o alinhamento dos planetas com o centro da Galáxia, apontando para Ophiucus, dá-se na exata data de 21.12.2012, às 9:40 hs da manhã. Esse alinhamento é que marca o final de um ciclo (uma volta completa do sistema solar, 26.500 anos, a metadinha de 12.800 anos de dia e noite ao redor do centro da galáxia). Mas o término da onda galáctica agora em outubro é algo significativo. Mas tem mais...hehe. Eu a Luciana, do Universo Holístico, até pegamos um programa astronômico uma vez só para ver o alinhamento em 2012, e é nesse dia mesmo, sensacional!
    valeu
    Bjs
    Iara

    ResponderExcluir
  5. sou leigo neste assunto. Mas curioso.Leio e analiso com base e meus parcos conhecimentos e intuições. Mas penso e analiso os conhecimentos que chegam a mim.

    Abração!

    ResponderExcluir
  6. Explosão no centro do RJ, não foi Bueiro, 3 mortos e feridos. http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5409778-EI8139,00-Explosao+no+centro+do+Rio+causa+panico+e+deixa+mortos.html

    ResponderExcluir
  7. Estou mais inclinado a crer no que está em profeciasoapiceem2036.blogspot.com , ou seja, que NADA vai acontecer agora, nenhum fim do mundo, que o calendário maia não anuncia nenhum fim do mundo, que as coisas vão começar a mudar pra valer mesmo é em 2029, quando o asteróide APOPHIS passará já muito perto da Terra - e já causará grandes mudanças - e 2036, principalmente, quando se chocará com a Terra! O autor do blog é bem convincente ao mostrar ligação entre essas previstas passagens do APOPHIS e as profecias da Bíblia, Nostradamus, etc...

    ResponderExcluir
  8. Oi Iara!! Tudo bem sim querida e espero que contigo também.

    Eu também vejo as coisas assim, acho que de alguma forma os dois estão certos, Arguelles justamente pelo que você lembrou, esse alinhamento realmente acontecerá, então tem valor mais que significativo. Acho que as coisas vão começar a ficar quentes a partir do final de outubro, acho que as escolhas das linhas de tempo para 2012 e além, serão amplamente definidas a partir de agora. Acho que a única coisa que podemos ter certeza absoluta, é da efetiva implantação da NOM porque ela se desenrola fortemente em baixo de nossos narizes todos os dias, agora o que esperar disso é um mistério, a humanidade vai determinar através das escolhas...

    Valeu pelo comentário amiga.

    Beijão

    ResponderExcluir

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".