09 novembro 2011

Conversa de Sarkozy e Obama gera constrangimento diplomático


Os presidentes norte-americano, Barack Obama, e francês, Nicolas Sarkozy, preparavam-se numa sala retirada para proferir as suas declarações finais na Cimeira do G20, que decorreu na cidade gaulesa de Cannes a semana passada, quando o Médio Oriente e a Palestina assomaram como tema de conversa.

Obama pedia explicações a Sarkozy pelo seu voto a favor da integração da Palestina na UNESCO, que surpreendeu meio mundo, quando o chefe de Estado francês se referiu a benjamin Netanyahu: “Estou farto dele, é um mentiroso”. Obama nem tentou contrariá-lo: “Tu estás farto dele, mas eu tenho de o aturar todos os dias”.

Silêncio durou cinco dias
Foram três minutos de conversa informal que chegaram aos ouvidos dos jornalistas que aguardavam a conferência de imprensa de Obama e Sarkozy. Enquanto os dois líderes mundiais mantinham um encontro informal numa sala retirada, eram distribuídos os aparelhos de ouvido para a tradução simultânea da conferência de imprensa.

Os jornalistas foram aconselhados a não colocar os aparelhos antes da comunicação conjunta, mas alguns jornalistas franceses e um outro da Associated Press não atenderam ao pedido e acabaram por escutar as delicadas considerações em torno de Netanyahu.

Os jornalistas decidiram não utilizar as informações também por não terem conseguido gravá-las

A conversa conflui para a esfera da política internacional fruto do papel desempenhado pela França como mediador privilegiado do conflito no Médio Oriente. Terá sido este pormenor – a par da tradição do jornalismo gaulês de não divulgar conversas tidas como do foro privado – que originou um acordo entre os jornalistas que escutaram os comentários no sentido de manter silêncio sobre o diálogo, atendendo ao pedido dos membros da equipa de Sarkozy.

Mas o site francês “Arrêt sur images”, especializado nos bastidores da imprensa e decodificação de conteúdos, acabaria por quebrar o silêncio e, em primeira mão, divulgou os contornos da conversa, conteúdo posteriormente confirmado por um repórter da agência Reuters.


Assista na Globo News


Sarkozy criticando Netanyahu! O sujo falando do mal lavado! E Obama o atura porque? Porque é de lá que vem as ordens?! O único papel significativo de Israel no mundo está ligado à religião e guerra, guerra, guerra, nem petróleo em abundância tem. Essa conversa vai render boas broncas dos chefes...

Ravena

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".