21 novembro 2011

O fenômeno completo


O ser humano é um fenômeno completo,

em nós é possível a percepção

mais fragmentada e objetiva da realidade

assim como também a visão do infinito

integrando o Universo inteiro.

Por isso somos capazes

de perpetrar as mais vis abjeções

e também expressar a mais sublime misericórdia.

A grande maioria não se importa com nada,

só vive para satisfazer apetites sexuais e alimentícios.

Há um enorme grupo também

que começou a se preocupar com questionamentos

mais profundos e tem consciência rudimentar da eternidade

na própria experiência de ser.

O grupo dos humanos

que se encontra plenamente capacitado

a funcionar na eternidade do ser é pequeno,

mas neste caso o número não conta

e sim a influência marcante que promove.

Todos chegaremos lá, esse é nosso destino,

venceremos a morte e seremos imortais e amorosos.

Tratar os semelhantes do jeito que sua alma desejaria ser tratada, essa é a regra de ouro da ética. Só não se aplica aos masoquistas; já pensou no que se converteria o mundo se os masoquistas usassem essa regra?

Há fantasias que são sedutoras e que por isso você corre o risco de gastar recursos e tempo na tentativa de obter satisfação através delas. Porém, porque são fantasias nunca trarão satisfação, mas decepção.

Nada além de executar suas tarefas com perfeição e envolvendo seu coração nessas aproximará você da espiritualidade. O espírito não é distante e desvinculado da realidade, se envolve em todos os assuntos cotidianos.

A necessidade de você se sentir bem é sagrada e deve ser tratada com delicadeza, para que o tiro não saia pela culatra. Há atividades que pareceriam servir a esse propósito, mas só funcionariam ao contrário.

O que hoje parecem ser apenas incômodas limitações, num futuro nada distante você as compreenderá como circunstâncias fortuitas que impediram você continuar em frente com assuntos que não dariam certo.

Talvez a quantidade de detalhes que funciona mal não tenha aumentado, mas sim sua percepção desses, ou melhor, sua tolerância em relação a isso. Nesse momento será melhor você se retirar e se dedicar a descansar.

É necessário dar fim definitivo a alguns assuntos que sua alma percebeu que não conseguiria administrar direito e que por isso andou empurrando com a barriga. Melhor finalizar esses assuntos e assumir outros.

O fracasso alheio nunca significará a vitória dos oponentes. Essa é uma ilusão nefasta que diminui o valor de nossa humanidade. Fracassos e vitórias são de toda nossa humanidade, nossa espécie é um só corpo cósmico.

Mais importante do que a luta para você se dar bem e progredir é manter a mente atenta e lúcida para que as ilusões não provoquem problemas nesse caminho. Seguir ilusões nunca conduzirá ao progresso.

Quando as negociações se transformam num jogo de engano mutuo, tenha certeza, todas as partes envolvidas sairão perdendo dessa situação. Negociar, definitivamente, nunca foi, não é nem nunca será enganar.

Ainda que certas tarefas não sejam de seu agrado e pareça mais importante usar o tempo em outras coisas, se essas tarefas surgirem e requererem atenção, melhor será você conceder essa atenção e dar conta do recado.

Quando tiver dúvidas ao fazer o julgamento de alguém, querendo saber se é uma pessoa positiva ou negativa, em vez de ater-se ao discurso procure levar a sério as sensações mais íntimas que surgirem no encontro.

Fonte: Quiroga.
Via maravilhoso blog Arauto do Futuro

Ravena

"Para reprodução integral ou parcial do texto, é necessário citar a fonte e o link da postagem original"

2 comentários:

  1. Adorei esta postagem postei novidades no blog acho que vai gostar da última http://lefranconews.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Quiroga com certeza ja retirou os veus do inconsiente, até quando vamos so ler e achar legal, bonitinho,etc
    PARA AQUELES QUE TEM OLHOS PARA VER E OUVIDOS PARA OUVIR - AÇÃO.

    ResponderExcluir

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".