01 novembro 2012

Relembrando: Dois Mundos

Texto postado em setembro de 2010, explorei o sentido ou a falta de sentido da palavra SE, o medo,  o isolamento, nossos familiares e nossa responsabilidade. 

Ravena



O medo paralisa, nos mantêm estagnados, impedindo mudanças, provoca reações não só na mente como no corpo. Quando sentimos medo, um substância conhecida como adrenalina se espalha pelo corpo, os batimentos cardíacos aumentam fazendo o sangue circular mais rápido, deixando o corpo preparado para uma fuga ou um  movimento agressivo. Se houver situação de impotência diante de uma situação, misturamos a todas essas sensações a vontade incontrolável de chorar, de fugir, de sumir, de se esconder.

Com exceção da auto preservação, onde o medo é fator de sobrevivência, na maior parte seus efeitos são destrutivos.  O medo da doença, pobreza, violência, solidão, das contas no fim do mês, o medo da morte, o medo de Deus, o medo de ser você...


Continue lendo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".