07 novembro 2012

Relembrando - A Nova Ordem Mundial

Texto postado em junho de 2012 que explora revoltas, guerras, o papel da ONU, o Iluminismo,  as Revoluções, queda de Impérios, Regimes, Ditaduras que consequentemente fazem crescer a implementação aos poucos de um novo mundo com base nas diretrizes de uma velha Nova Ordem Mundial. 

Ravena


A Nova Ordem Mundial


As rebeliões que varrem o Oriente Médio e o Norte da África são “um bem para a democracia”
Ex presidente Lula

Me perdoem os que estão enxergando mentes conscientes no meio de todos esses protestos pelo mundo. Eu não vejo nada disso, o pessoal na Grécia, na Espanha, as “revoltas” que estão acontecendo pelo mundo, estão ocorrendo porque os problemas chegaram no bolso da população. Uma porcentagem imensa de desempregados e falta de dinheiro é o que move a revolta desse povo.

Conscientização seria se todas essas revoltas estivessem direcionadas para colocar um basta nas guerras que se desenvolvem pelo globo e em especial no Oriente Médio e África.


Um comentário:

  1. O que estou vendo é o oriente médio se tornando um quintal do G8, afinal eles sabem como fazer para implodir um país sem precisar invadir.... só não invadiram o Irã ainda, porque não conseguiram ter certeza se vão levar uma bomba na cara....
    Mas é bem óbvio o programa para acabar com o mundo islãmico (eles não aceitam a colonização ocidental), com o povo africano (eles não tem tecnologia e mão de obra especializada, então não servem pra nada aos colonizadores). Mas é ótimo poder usar os chineses, indus, latinos e russos, uma mão de obra boa, barata, com acesso a tecnologia, educação básica e alinhamento politico com os colonizadores). Quantos aos territorios... petroleo árabe de graça e minas de ouro e diamante africanas somente a preço de sangue.

    ResponderExcluir

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".