27 junho 2013

PROJETO UTOPIA PARA O BRASIL OU QUEM SABE PARA O MUNDO - POR MARCOS SIVIERO - FÓRUM



Segue minha resposta ao comentário do Marcos que foi postado originalmente no texto:  Deputado Denuncia a Fraude das Urnas Eletrônicas e diz que vai provar

E clique no link abaixo para ler o comentário de Luiz Spinola sobre a ideia de fóruns do qual Marcos se refere e que eu também adorei a proposta. 


Marcos querido, 

Todos os fios dos meus cabelos são utópicos também...rs...
Só posso agradecer imensamente seu comentário, foi um prazer te ler e sinceramente acredito que é exatamente isso que precisamos, de novas ideias, novos conceitos e porque não joga-los na rede? 

Quando escrevemos e compartilhamos nossas ideias "utópicas" acabamos registrando-as de forma mais significativa no campo informacional e se podemos, devemos usar a bendita internet, melhor ferramente atual para compactar essas novas ideias. Acredito que é assim mesmo que as coisas funcionam e mudam, um tem a ideia, outro a iniciativa de coloca-la em prática ou parte dela e assim a coisa toda toma um rumo.

E Marcos, quem dera todos os "velhos" tivessem a mente jovem, revolucionária e visionária como a sua. É com alegria que recebo seus comentários sempre tão sábios e cheios de informação e se não se importa postarei como texto, o que é bom deve ser compartilhado e como nem todos leem os comentários, vou dar uma forcinha...

Beijo no coração querido.

XXXXXXXXXXXXXXXX

Ravena, boa noite.
Como sempre, respeito a sua vontade em postar ou não o que vos escrevo.
Há tempos não vos falo (mais de um ano), porém a leio sempre sem interrupção, umas idéias suas eu até acho loucas outras serenas, contudo, sua postura de lutadora ainda me encanta e não deixo de admirar essas magníficas qualidades humanas que você é portadora, afinal todos somos humanos, ainda que alguns sejam mais “manos” e outros mais “... huuuuummsss...”!

Antes de tudo, as urnas informatizadas não fraudam ninguém, somos nós quem nos roubamos incessantemente manipulando-as ou aos seus programas, se estas emitissem recibos de votação sendo o voto aberto e público não haveria como fraudá-las, pois seria fácil comprovar a fraude e pegar os culpados, dificuldade para isso é uma mentira tão grande quanto a segurança de votar em segredo, a maior complexidade esteve presente para se instituir o voto eletrônico e esta foi superada com facilidade.

Entretanto, esse TRECHO DA RAVENA em: “... O que está por trás dos protestos...”:
“... Só acho interessante que aqueles que estão focando apenas no negativo, apenas reclamam ou tentam demonstrar o quanto idiotas, iludidos e utópicos somos, mas não trazem uma solução, uma iniciativa ou qualquer coisa parecida e na minha modesta opinião estão apenas com medo das dificuldades que virão, se agarrando ao velho e bom sistema escravagista, já que mudança se faz com ações e não com lamentações...”.

Aguçou deveras meu pensamento juvenil, mesmo em ida sem volta aos meus quase “setenta”, então.., pensei:
Por que não posso apresentar uma idéia ou sugestão ainda que possa parecer tosca ou mesmo ingênua?
Só espero que você compreenda que uma idéia para ser exposta exige um longo texto e apenas para ser um mero esboço, de outro modo, já será um tratado e não me qualifico para tal.

Você tem público fiel e até muitos doidos como eu a acompanham, essa penetração pode vingar em efeito positivo, todos que lhe comentam são interessados de um modo ou de outro, um dos seus que comentou falando sobre fóruns entre outros modos de criar uma “espoleta” para uma futura explosão me atraiu sim, o outro que disse que o movimento é orquestrado também não se engana ele é firme no que pensa e digo que ele está correto, porém muitas vezes “... o domador é engolido pela onça...”, nós podemos ser esse bicho e comer os dominantes, o momento é uma questão decisiva “... o poderoso com o chicote distrai os olhos e o ódio do supliciado extravasa destruindo-o sem dó...”, mesmo que matem a onça depois, aquele “circo” não será mais o mesmo! Eu mudo o futuro apenas por conhecê-lo!!

O problema que nos trai continuamente são a maldita cobiça e vaidade, pois ainda nos lembramos que os manifestantes de outrora são os que estão aí nos roubando hoje, como diz a Sucris “... né..?”
Quem desses de agora não serão os futuros algozes no “trono”..? É o poder nas mãos dos humanos que não funciona, voltemos às idéias:

Em preliminares devo dizer que sou UTÓPICO até a raiz dos meus cabelos (que são volumosos, apesar da idade) por isso, até no nome eu vou extrapolar!

PROJETO UTOPIA

A única vez que a Humanidade praticou a verdadeira Democracia foi no tempo de Sócrates e Platão e mal chegou faticamente e íntegra a Aristóteles (o último da “linhagem” socrática), por volta de 450 a 250 anos antes do período do cristianismo, a partir de então os romanos a deturparam tanto quanto hoje o fazem os dominantes (prefiro deixá-los sem nome, pois que têm muitos).

A verdadeira democracia é tão perfeita quanto ineficaz, pois nada pode ser posto em prática em tempo adequado, pois até que o último “cidadão não expresse a sua decisão, qualquer ato é arbitrariedade.
Esse estado de coisas permaneceu secularmente, pois era muito mais fácil um ser “unipessoal” com poderes ilimitados por meio da força bruta primordial governar os conquistados e perpetrar esse poder através dos filhos e agregados até que vez por outra a inércia dos demais era quebrada e o poder apenas mudava de mãos, não é o que vemos até hoje ainda que mascarado de “democradura”?

Em tempos revolucionários na França do século 17/18 dois homens evidenciaram-se em levantar dos “mortos” as idéias democráticas e igualitárias, um foi Charles-Louis de Secondat, o Barão de Montesquieu com sua principal obra e admirável moldagem ao mundo atual da extinta Democracia “O Espírito das Leis”, sua mais significante idéia fora a de isolar os poderes para equilibrar a administração pública criando assim os princípios das leis por meios legislativos, o poder que cria as leis, formas do judiciário, o poder que aplica as leis criadas e o poder prático que administra diretamente um Estado, o executivo, além disso, apontou que entre esses poderes haveria uma constante e sadia disputa de vigilância de um para os outros e dos demais para esse “um”, apenas não percebeu que do outro lado do planeta já existia um país que ao descobrir a República promoveria a cumplicidade e o conluio dos poderes em favor deles próprios, você, por acaso, conhece esse país??

O outro grande homem que mudou o pensamento político da Humanidade até os dias atuais foi Jean-Jacques Rousseau e em sua maior obra “Do Contrato Social” inspirou até mesmo a própria revolução francesa de 1789. 

A política, mesmo que degenerada para favorecer alguns, praticada ainda hoje no mundo tem orientação baseada nesses dois pensadores, de fato, o segundo sequer sabia que era um grande filósofo até 1750, foi, até essa data, um fantástico músico reconhecido mundialmente, quando nessa data, com um texto magnífico “Discurso Sobre as Ciências e as Artes”, foi também reconhecido como um grande pensador equiparado até mesmo a Immanuel Kant o “Virtuose” da Alemanha (Prússia de 1724).

Bem.., desde Sócrates até Rousseau a democracia foi ideal, mas quase impraticável apenas porque só poderia ser exercida pelos homens diretamente, quero dizer..; “FISICAMENTE”, hoje isso é praticamente desnecessário e é isso que vou demonstrar:

Aquele computador que pode ser manipulado para nos roubar pode, deveras, ser o nosso maior aliado, podemos, por meio dele, fazer uma administração verdadeiramente gratuita e altamente eficiente, de fato, não pretendendo ser um novo “Montesquieu”, eu diria que estou importando dos mesmos dominantes “O Quarto Poder”, lembra-se de Dustin Hoffman.., John Travolta..? “A MÍDIA”
Sim.., a mídia, mas de uma forma avassaladora, poderosa como deus, todavia, servil como o cordeiro!

A Internet, antes de tudo, deve ser garantida e acessível sem restrições, esta é a única etapa que os humanos devem prover, o resto é até singelo e, absolutamente “digerível”.

Um processo dinâmico deve ser criado, isso é simples para qualquer hacker, por que não seria para os engenheiros e profissionais do ramo?

Esse dinamismo estaria em tempo real permanentemente e diligenciaria aos meios competentes os votos incessantes (sim.., um plebiscito instalado definitivo e ininterrupto).

Os poderes seriam conselhos e não mais pessoas físicas, seriam os conselho executivo, o legislativo, o judiciário e o que deveria estar em primeiro lugar, mas não está por questões didáticas seria o deliberativo (O POVO) todos, sem exceção, em forma de mídia, todo o sistema seria virtual e as leis e decisões seriam permanentemente avaliadas.

Na verdade nada mudaria nas efetivações das determinações, a Constituição, por exemplo, a Mãe das Leis, estaria permanentemente em foco e seria cumprida como até hoje nunca foi, porém suas diretrizes seriam separadas em fundamentais e sujeitas, as primeiras para sofrerem alteração precisariam de, no mínimo, 75% dos brasileiros maiores aprovando, as segundas poderiam sofrer aperfeiçoamento permanente com votos totais apurados de 50% mais um.

Tudo que existe hoje na administração dos poderes seria simplesmente eliminado, a exemplo de vereadores, prefeitos, deputados, governadores, senadores, presidente e toda a parafernália atual, assessores e tal.
Os conselhos estariam em permanente assembléia e seus componentes seriam todos substituíveis a qualquer momento até pelo simples encontro de interesses, o processo seria mesmo ebulitivo, efervescente, seu dinamismo não permite relações prolongadas e combinações privadas do interesse público.

A remuneração seria por produção efetiva, ou seja, leis aprovadas e em prática remuneram os autores, de outra forma não, por isso nenhum dos conselheiros estaria impedido de trabalhar em outros lugares o ter seus próprios negócios, pois não há meios de ganhar senão pela aplicação efetiva do produto legal ou material,cargo público não é plano de carreira, mas sim convocação civil, mesmo quando voluntária é sempre espartana e não foco de riqueza privada.

As obras públicas obedeceriam canais virtuais plenamente expostos a população que teria o poder de veto permanentemente, basta a votação singular do dia a dia, distrital, municipal, estadual e territorial nacional.
Se perceberem todas as etapas do sistema governamental pode seguir esse procedimento, toda a publicidade que sempre foi desnecessária, seria eliminada, pois obra pública é obrigação e não objeto de autopromoção.

Todas as empresas que prestam serviços e fornecem produtos seriam permanentemente auditoradas pelo próprio povo e seus responsáveis arcariam com o ônus da responsabilidade de tudo que entregam pelo tempo de sua existência (obra e serviços).

Esse curto esboço ainda tem inúmeros itens que não cabe apresentar neste pequeno resumo, mas qualquer pessoa que conhece o sistema de controle e auditoria por processo remoto, qualquer corporação de âmbito mundial já o pratica de uma forma ou de outra, inclusive com assembleias virtuais permanentes ao redor do planeta e, vejam se elas vão mal com suas economias, na verdade, elas estão dominando o mundo por saberem usar estas armas contra uma população mundial indefesa contra esse tipo de ataque.

Ravena desculpe a improvisação e alguns erros gramaticais inoportunos, pois o assunto “Brasil” está me revoltando e gostaria de morrer pelo menos vendo um fio de esperança verdadeiro para esse povo e não outro episódio de quem tira o poder e domina com novas mãos ou as mesmas que sempre nos estão ocultas.

Beijos deste velho.




21 comentários:

  1. Muito bom. O melhor que vi até agora.
    Apenas como sugestão:Acrescentar um critério para levar em conta "o melhor para todos - Bem Comum",que nem sempre é atendido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Celso, você por aqui também!! GRata pelo comentário e abração

      Excluir
  2. Como anda a inclusão digital no Brasil?
    O percentual de alfabetizados plenos (aqueles que conseguem ler e entender um texto e escrever um ) e que têm acesso à hardwares e softwares é tal que se poderia dizer que uma determinada decisão refletiria o desejo do povo brasileiro?
    Como fazer isso em paralelo ao sistema de governo atual sendo capaz de sabotar a internet e até mesmo constituindo censura e proibição?
    Nossa briga é titânica e penso ser necessário "levar o pânico aos marimbondos" antes dos esforços para exterminar as colmeias.

    ResponderExcluir
  3. Ravena, á tempos que num comento aqui...mas desta vez preciso dizer que esta velha manda uma beijoca na ponta no nariz deste velho lindo de viver...tb eu quero ir não antes sem ver um fio d esperança verdadeiro...BENDITA INTERNET que nos liga lindamente...a quem assim o faz permitir...e vou levar para meu face e meu email, ambos formiguinha, mas interruptamente em ação...amo vc lindinha...e VAMOS QUE VAMOS...beijocas no cuore menina...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Velha? O mesmo que escrevi para o Marcos é pra você rs...Sem contar que você é "mô gatona"!! Que olhos!! Rs...

      Sempre grata por seus comentários.

      Você sabe que amor é recipróco, beijo grande

      Excluir
  4. Lendo a valsa dos comentários postados desde o início das manifestações no Brasil, podemos ter a impressão de que o movimento do povo tem um objetivo claro e definido.
    Neste ponto da leitura muitos vão pensar, o cara é um reacionário. Me utilizo de todos os meios de que disponho, inclusive e principalmente a Internet; para tentar unir pensamentos em torno de ações. Todos fazem isso, mas se não há um amplo entendimento da doença, como extirpá-la corretamente. Neste contexto me coloco como REVOLUCIONÁRIO e 100% antagônico aos governos.
    Fiz alguns comentários sobre a sugestão do Projeto Utopia e o meu objetivo era o de apontar falhas que precisam ser corrigidas.
    O norte americano Snowden está marcado para morrer porque denunciou a vigilância que o governo norte americano exerce sob a internet. Alguém tem dúvidas de que todos os governos fazem a mesmíssima coisa? É difícil concluir que tudo o que um povo faz é monitorado e aferido pelas redes sociais e que portanto não existe nada surpreendente?
    Onde estarão e o que estarão fazendo os "dominantes" enquanto esse proposto movimento(Projeto Utopia) se desenrolar na internet? Não lhes parece que a internet é o que é porque querem que assim ela seja? É como se criassem um gigantesco labirinto para o povo e dissessem, vocês são livres. A internet é como um presídio onde nossas cartas são previamente vistas para chegarem, ou não, aos seus destinatários.
    Um dia qualquer, já idos uns 30 anos, saí de uma reunião em um dos diretórios do famigerado PT para nunca mais voltar. Naquele dia percebi que estava alí fazendo exatamente aquilo que os "dominantes" queriam: Acreditar que tudo se resolveria na base do diálogo. Essa é a maior arma deles e vejam que há um bombardeio de propaganda da mídia nesse sentido. Combatem a revolta popular com balas ( por enquanto de borracha) e bombas (por enquanto de gás lacrimogênio e gás de pimenta) e fazem o povo acreditar que a violência deles contra o povo deve ser combatida com palavras.
    Não existem partidos de oposição no Brasil. Todos comem na mesma panela e seguem fazendo rodízio no poder em um ato planejado para iludir o povo com falsas perspectivas de mudança.
    Se não existe predisposição para se pegar em armas, devemos usar o que temos e dessa forma a constituição brasileira diz que uma eleição pode obrigar todos os candidatos a serem substituídos caso no mínimo 51% dos votos sejam nulos. De nada adiantaria porém, se os substitutos fossem escolhidos pelos velhos e conhecidos partidos. Isso equivaleria a aceitar que colocassem fantoches no poder. Temos que provocar esse acontecimento planejando-o com antecedência, mas tomando o cuidado de mobilizar o povo com uma antecedência que não permita a reação dos "dominantes". Em paralelo é mister que se pense em como desarticular e substituir o sistema de escolha de nomes adotado pelos partidos. O povo tem que se apoderar desse processo e ser dono e autor da nova lista de candidatos. Sim isso, agradeço pela liberdade que o espaço me dá de acreditar que o Projeto Utopia será utopia de fato.

    ResponderExcluir
  5. O velho ataca novamente!!
    Ravena, boa tarde.
    Há anos luto para vencer minha vaidade (não aquela que vai idade)e você me faz uma coisa dessas e "exprodi" meu ego já combalido, estou todo inchado e você é a culpada.
    Ao Amigo Falcão: Não fechei e nem posso fechar esse assunto pretendo apenas que ele seja estopim, fico feliz com suas observações e é esse o propósito criar um ambiente e nele operar sendo com o sistema querendo ou não, temos que informá-los que a força emana de nós e não deles.
    Beijos Ravena.
    PS.: Tenho mais alguns argumentos razoáveis em vista vou lhe enviando e sempre aceitando seu critério que se mostra muito responsável.
    Se dos 200 milhões que somos apenas dois ou três milhões rosnarem e mostrarem bem os dentes, aposto com quem quiser que os (gatos) arrepiam o rabo e fogem.
    Veja se a turma do Avaaz se preocupou com números, eles apenas começaram, ainda que afirmem que eles têm patrocínio de poderosos, pouco importa, pois é o resultado que conta, notem..; se doença pega e vira pandemia, por que o bem não faria o mesmo???

    ResponderExcluir
  6. Olá Marcos, Ravena, Jorge e amigos(as) !!

    Vamos, então, abraçar esta causa !! PROJETO UTOPIA !! Aprovado !!

    "Quanto mais alto voar em seus sonhos, maiores serão as suas realizações" !!

    Quanto à considerações do Jorge, de muito proveito : certamente precisamos estar preparados para as perseguições dos dominantes, inclusive a nível pessoal. Mas isso somente ocorrerá se nossos intentos e ações tomarem vulto. O medo não deve nos intimidar, pois é dele que o inimigo se alimenta. Porém, precauções necessitam ser tomadas.
    Conforme Jorge lembrou muito bem, temos uma arma mais próxima da realidade que é o boicote maciço nas eleições. Esta, devemos também empunhar !!

    Eu sei apenas criar fóruns, grupos e blogs no Google. Embora possam ter outras opções - que outros possam sugerir - creio que deveríamos concentrar em recursos padronizados para expor o projeto e agregar sites de relacionamento social, web conferências e outros liames da grande rede da internet. Em todos os movimentos e campanhas deve estar o nome do projeto, com o seu link principal. A ideia é construirmos um mega site, cujas páginas sejam outros fóruns, grupos, redes sociais, blogs e sites comuns.

    Como divulgaríamos este ousado plano, além das formas tradicionais que já conhecemos ? (lista de emails, grupos, blogs, redes, etc....), na própria internet e fora ?
    Quanto a outros meios de comunicação, o que acho que podemos estabelecer uma parceria é com redes nacionais e internacionais de Rádios Livres.

    Quanto à aplicação do termo PROJETO UTOPIA, precisamos descobrir se este deve ser o nome apresentado na Web, ou se deve ser outro. De qualquer forma, PROJETO UTOPIA é o texto-mãe-pai.

    Temos de lutar com o coração e a razão : com o coração, acreditar que este projeto será aceito por um número considerável de brasileiros e, desta expectativa, retirarmos forças para continuarmos na ativa. Com a razão, precisamos estar ideologicamente preparados para um crescimento moroso, devido a uma provável inércia inicial na aceitação de um empreendimento social tão aparentemente pretensioso.

    Por mim, já estou dentro da luta !!

    Devido a várias atividades presenciais em minha cidade, não tenho podido adiantar o fórum DEMOCRACIA PLENA JÁ, mas tem progredido : criei uma página sobre os vários possíveis fóruns que devem ser criados e se integrarem :
    https://groups.google.com/forum/#!category-topic/democracia-plena-ja/zCXHai4USSQ

    Penso que devemos adotar uma política de não atacar o sistema vigente, a não ser na exposição de raciocínios que precisam evidenciar os seus erros e falhas e, de nenhuma forma, ofender pessoas. Esta política é para não acirrar desnecessariamente o ânimo dos opositores. Podemos olhar o problema bem lá de cima, das alturas, com uma visão sistêmica e compreensiva.

    Podemos, por enquanto, trocar sugestões aqui mesmo, nesta postagem do Evoluindo Sempre, mas um próximo passo seria criarmos uma lista de emails ou um grupo fechado para continuarmos.

    Abração a todos....Luiz

    ResponderExcluir
  7. Gostei da forma como o Falcão expos a perspectiva, até porque não me agrada uma democracia virtual, mas sim direta e olho no olho. Participo de Conselhos de Saude por força da profissão médica, e acompanhei alguns outros conselhos municipais em pequenas cidades onde trabalhei, e afirmo que todos foram ESVAZIADOS e MANIPULADOS pelos prefeitos e abandonados à sua sorte por Conselhos Estaduais, o povo esvaiu a frequencia e foi cuidar de sua sobrevivência com o que resta de sua energia, as entidades 'representativas'da sociedade civil esvaziadas sendo manipuladas por dirigentes coaptados e ociosos, de tal modo que, parece-me, que a tal DESCENTRALIZAÇÃO da Saúde na mão dos Municípios afundou mais ainda na corrupção política do que o Governo Federal fazia por meio de seus órgãos técnicos. E a Saúde ficou nas costas dos frágeis municípios, com o governo federal repassando míseros 7% ou 10%, o municípios com a carga acima da lei(15%)com mais de 30% do orçamento comprometido. Mesmo assim considero a dinâmica dos CONSELHOS MUNICIPAIS um germe imprescindível de DEMOCRACIA DIRETA E PARTICIPATIVA, MAS O PODER POLÍTICO PARTIDÁRIO CENTRAL SEMPRE ATROPELA SUA VIABILIDADE. Temos claro que os políticos eleitos estão locupletando com a Democracia representativa, e se tornaram uma Casta de comandados por elites,aqui no Brasil, um país de agronegócios e lobies empresariais e de lavagem de dinheiro negro, dá pra se aferir quem os comanda. Sem falar na Direita Internacional, Bilderbergs, Nova Ordem Mundial e Illuminatis. Mas é possível se pensar num país multiétnico e gigante funcionando pela dinâmica de uma Inversão da Pirâmide de Poder através de Democracia Participativa e Direta, apartir de Conselhos, cidades, regiões, Confederações unidas por consulta popular e vínculos geográficos,históricos e culturais. Os impostos seriam regulados e regidos pelas confederações, e ao Governo Federal, enxugado a máquina ministerial e o congresso nacional, restaria questões de foro internacional. Talvez com um Primeiro Ministro, que consultaria sempre as instancias confederadas em suas bases. Todo mundo não quer se sentir espoliado de seu trabalho e quer justiça nas relações,com oportunidades de acesso de acordo com seus esforços. O povo quer participar, e não viver de bolsas auxílio, já basta a vergonha e o sofrimento de suplicar aposentadorias por invalidez. A classe média trabalhadora não suporta mais arcar com impostos e carga tributária para a ganância de partidos e políticos demagogos, enquanto as grandes fortunas e a elite são protegidas por estes políticos encastelados. Seja como for, a microdemocracia direta é o germe da paz e da integração nacional, e é pela AÇÃO PACÍFICA E PERSISTENTE, COM VOTO NULO em mais de 50% que vamos provocar uma COMOÇÃO NACIONAL, e provocar o Debate Nacional de uma nova constituição. Haverão reações de setores oligarcas, mas JAMAIS deverá o consenso popular agir na mesma medida e meios que a violëncia apontar, pois a marcha do povo é, segundo as advertências do sermão da montanha, segundo André Chouraqui: Avante, os humildes e pacificadores, eles herdarão a terra, Avante,os que buscam a justiça, a misericórdia e o direito, e servem para o reino dos céus na terra, eles são o sal da terra!

    ResponderExcluir
  8. Olá pessoal, boa tarde, em particular um abraço quente e fraterno à Ravena que abriu uma linda porta de acesso no "Evoluindo" aos que buscam "Evoluir".
    Ao Falcão, que se mostra muito observador e experiente, agradeço a participação, embora eu não tivesse o ímpeto inicial de criar movimento algum, apenas insinuei uma via a ser trilhada sabendo de todas as suas imperfeições e dificuldades, os aspectos virtuais são os acessórios e não a finalidade, o foco é fortemente dirigido a suprimir o poder da mão singular e dirigi-lo ao comando coletivo sem possibilidade de regresso.
    O problema é como operar isso até sua concretização, está nesse "nó" a proposta de debate e ação.
    Por isso continuarei a expor idéias aqui e jamais penso ser dono da verdade, apenas ofereço planos e direções que podem ser aperfeiçoados e até recusados sem sentir ofensas ou dores no ego, pois que luto por destruí-lo há anos.

    Há tempos lancei algumas idéias, nem preciso informar que foram rechaçadas, pois vão contra tudo que o interesse de poucos quer.
    Assim; lá vai: CONTINUA


    ResponderExcluir
  9. O PROBLEMA DE TODOS

    A contínua e grave causa do desemprego tem sua origem em, no mínimo, sete motivos fundamentais:
    1 – O crescimento da tecnologia que é distribuída à quase todas as nações, fator inegável de progresso e grande benefício material à sociedade. Vem, todavia, atrelado ao inevitável efeito colateral da desnecessidade cada vez maior da utilização de mão de obra, ainda que se saiba ser essa mesma mão produtora quem também consome.
    2 – Os benefícios gerados pela tecnologia abundante vêm propiciando a saturação dos centros urbanos e assim surgem núcleos de altíssima densidade demográfica e campos irremediavelmente abandonados.
    3 – O aumento populacional dificulta o devido atendimento social que o Estado se propõe executar por altos custos, por outro lado, produz a falsa imagem de progresso. Sim “imagem”, pois a turba humana causa um “amassamento” físico e psicológico inconveniente até para os favorecidos pela “sorte”. Logo, por uma face, o crescimento demográfico aumenta os riscos da excessiva aglomeração, por ex., endemias, promiscuidade, miséria, disputas diversas, etc... e, por outra, há cada vez menos chances de atendimento à todas as vicissitudes da massa resultante ocorrendo que o indivíduo se anula em favor da coletividade. Em conseqüência temos a ilusão de bem estar social se analisada a sociedade, a realidade, contudo, é bem outra, quando sopesado apenas o cidadão.
    4 – O excesso da densidade populacional cria ainda, a escassez de distribuição homogênea do conhecimento, tanto cultural quanto técnico ou didático, desaguando na impossibilidade da prestação de serviços por pura incapacidade do cidadão que se propõe executá-lo.
    5 – A estrutura econômica produzida pelos fatores citados, obriga os grupos de sobrevivência que se mantém, a se fecharem em “ilhas” empresariais de sustentação e autopreservação, i. é, pequenos ou grandes, hoje quem sobrevive no “mercado” são os conglomerados. Logo, a produção que tem uma única origem e objetivo, o capital e o lucro, acaba, por conveniência e muita eficiência, empregando menos. Resultados muito satisfatórios e custos enxutos. A sociedade, contudo, arca com o preço social tirânico, efeito colateral deste remédio empresarial.
    6 –O desemprego primário, isto é, aquele causado pela evolução tecnológica, provocou um volume significativo de mão de obra ociosa, que por sua vez, ocasionou um violento desequilíbrio social e separação de classes sem precedentes. As camadas sociais de baixo poder aquisitivo não consomem, portanto, levam às pequenas e até às médias empresas ao fechamento por pura inércia econômica. Logo, está criado outro fator gerador de desemprego que já é considerado exponencial. Em palavras singulares, os desempregados não consumindo, provocam mais desemprego. E é falsa a impressão de recuperação de emprego, pois os índices divulgados desprezam a verdadeira enxurrada de mão de obra inexperiente lançada ininterruptamente no mercado e o contínuo crescimento demográfico provocado pelo próprio despreparo cultural. Por outro lado, a hipocrisia eclesiástica condena o controle da natalidade pelas vias educacionais e optativas levando, em contrapartida, em pouco tempo, o bloqueio coercitivo da natalidade pelo poder dos ímpios ou à brutalidade generalizada por absoluta ausência de controle, cujos sinais já são assustadoramente evidentes. E isso, não é proposição de Maquiavel, senão realidade! CONTINUA

    ResponderExcluir
  10. 7 – Como agravante, as instituições garantidoras (em tese), as profissionais, as patronais, etc., são sindicatos, conselhos, autarquias reguladoras de todos os tipos, etc... Ora, esses “dinossauros” sociais comem muito mais do que produzem, não regulam “de verdade” nada, contudo, criam infinitas dificuldades para, eventualmente, “venderem” facilidades (encontram-se na “praça” como licenças ou alvarás, códigos de regulamentação de Vários Ministérios, Prefeituras, Estados, União, controle ambiental, policial, fiscal e infinitos outros). A informalidade é promovida pelo próprio fisco que brutaliza a iniciativa empresarial embrionária e o cidadão honesto para não roubar, vende quinquilharias ou produz clandestinamente o que sabe. O fato é que não existe, de verdade, o Órgão orientador, protetor, e nem mesmo fiscalizador, cujos propósitos sejam realmente diligentes e mesmo sinceros, as finalidades são, inevitavelmente arrecadadoras ou corruptoras. Em palavras honestas resume-se ao seguinte exemplo, um “profissional” de posse da sua carteirinha do “conselho”, com o pagamento em dia, tem “licença para matar”, esse mesmo cidadão, se salvar uma vida, em condições irregulares ao dito “conselho”, estará irrecuperavelmente em condição ilegal e, aos olhos da sociedade, ele é um bandido. Essa conduta “protetora” se estende a todas as classes profissionais e mais, encaminha-se, por força do lobby pseudo-profissonalizante “educacional”, a criação até de “facurdades” de varredores de rua e é óbvio que não esquecerão das “póz-gladuasão” dos “verdureiros”, etc... Tudo isso a preços módicos que pelo resto da vida os “gladuados” pagarão. Logo, vemos graduados escrevendo “nòiz vinhêmo purqe fumu”, todavia, jamais viram um instrumento técnico.
    Basta que se analise a história de um incontável número de grandes empresas e se verá que estas partiram, em sua grande maioria, desligadas das entidades “protetoras” e livres dos “profissionais” que as regulamentam pro forma hoje. Não se pretende aqui o total desmando ou a anarquia no mercado, mas o excesso de regulamentação vem corroendo a iniciativa geral, hoje é mais “criminoso” produzir do que infringir o Código Penal e, no último caso, os “direitos humanos” oferecem mais proteção ao “meliante” e, de graça, do que as referidas “entidades reguladoras” propõem aos “empresários embrionários” e mais, as últimas cobram coercitivamente os seus “protegidos” para esmagá-los com seus próprios recursos. Seria como o enforcado custear a corda que o sufocará.

    Amanhã exponho a próxima e obrigado por lerem estas idéias.

    ResponderExcluir
  11. PODE HAVER SOLUÇÃO

    A crônica apresentada anteriormente apontou apenas as causas mais evidentes do desemprego, existem várias outras como se sabe, são estas, contudo, fatores secundários e menos agressivos que os comentados, não nos compensa, por ora, evidenciá-los, o que interessa mesmo é buscar soluções, estas, deveras, não são tão singelas, todavia, elas existem, mas.., por “Deus do Céu”, não digam que cabe ao governo encontra-las, pois ele já encontrou-as e faz muito tempo, todos no poder já solucionaram o problema do desemprego, eles estão excelentemente empregados e com salários e comissões divinos, nós os empregamos e pagamos com nosso sangue a humilde remuneração (mensalão e outros) e as noitadas de “pizzas” que lhes compete e basta de criticá-lo, de fato, não vale a pena, porque se eles fossem bons não seriam governo.
    Ora.., se não se tem a resposta “pra” que continuar esse assunto?.. Bem.., podemos conversar, não?.. então, abra sua cerveja e continue lendo, por favor!!
    É sabido que contra os grandes desafios melhor se prestam as pequenas investidas somadas e contínuas, as grandes soluções quase sempre buscam a publicidade e dificilmente chegam a ser “solução”, de fato, elas são boas para os (...) que querem solver os seus problemas e, de saldo, obter vantagens.
    O fato é que desemprego não permite solução, apenas possibilita descompressão, isto é, torná-lo aceitável nos moldes de uma sociedade de padrão preestabelecido. É-nos impossível, a sociedade utópica.
    Enfim, emprego tem caráter de estabilidade social apenas pelo aspecto coletivo, mas devemos primar pelo indivíduo. Para isto ele, o “indivíduo”, deve ser capaz e, se não gostar, ao menos deve se adaptar ao que faz qualificando-se para tanto e assim, suprir, até com certa folga, o que necessita no âmbito pessoal e familiar. As conseqüências deste arranjo individual é que influenciarão a sociedade.
    Tornar o cidadão capaz não implica na graduação hipócrita das “universsidades” ou, talvez, “univerçidades” de “ciências ocultas” que, além de não capacitar ninguém, ainda lhes suprime o pouco que têm vendendo ilusões, há faculdades cuja grade inclui leitura de tarô. Os verdadeiros cursos superiores ainda são poucos e de difícil acesso e a verdadeira escassez profissional não está exatamente na alta qualificação, todavia, no técnico operacional com maior enfoque (não devemos confundir a frágil presença científica no Brasil com as falsas ofertas da graduação pró-forma largamente divulgada). CONTINUA

    ResponderExcluir
  12. Fica, portanto, notável que devemos trabalhar os indivíduos (tanto física como juridicamente) e não, simplesmente a sociedade, que será atacada obliquamente por via das conseqüências. E, ainda que seja trabalhoso, estes (os indivíduos), devem ser manipulados um a um. Deve haver envolvimento com o cidadão diretamente, abrir-lhe as portas burocráticas, viabilizar as associações (criação de câmaras), incentivar idéias, facilitar a regulamentação dos produtos e serviços, até deveria ser verdade vários programas (da máquina) fictícios e inócuos que investem maciçamente em verdadeiros “pacotes de fumaça”, pois buscam apenas o lugar certo para produzir fantasmas lucrativos (Sudan, Sudene, Anvisa, as infinitas "Anas" {Anatel, Aneel}, etc.., etc..).
    Deve haver projeto participativo envolvente fazendo realmente parte do sistema e não um “faz de conta”. Gerar entusiasmo, sede de prosperidade, um processo endêmico cultural evoluído, elevar o nosso Povo a níveis internacionais em termos de capacitação, qualificação e percepção do significado desses termos, porém, de baixo para cima não importando quanto tempo decorrerá até o objetivo final, desde que já de princípio, seja auspicioso e compensador. Um projeto com o propósito de criar lastro e motivação popular que incentive a cultura da prosperidade honesta, porém, arrojada de gerar empresários na forma embrionária no seio do povo brasileiro, em tese, tal arremedo propiciaria até o fomento turístico, alvo da política adotada em inúmeras regiões, a pretensão é audaciosa, busca transformar os próprios MUNICÍPIOS EM EMPRESAS, mas este é um assunto “pra” comentário à frente, senão a Ravena “me briga” porque eu escrevo muito.

    ResponderExcluir
  13. Decidi-me ler o extenso comentário do Sivério acima,porque é um incentivo alguém prestar atenção, o que já é diálogo democrático,pois não?Enquanto lia me ocorreu que a afirmação exaltando a tecnologia universalmente distribuída é temerária, até porque se faz desde o início um debate sobre o SENTIDO da tecnologia e,portanto, seus LIMITES, os quais circunscrevem o HUMANO propriamente dito, e a Plenitude Humana,pois que há sentidos não-humanos na tecnologia que desfavorecem e até deturpam a democracia-comunidade plena.O ser humano que não tateia seus limites Humanos,se envolve com aspectos assustadores e mortais da existência,manipulação maníaca de poder. Não estou aqui postulando um conceito de Humano,mas sei que ser máquina e funcionar como máquina não é. Sou médico de PSF e vivo diariamente o drama da doença da desumanização em consultório e nas famílias, operários e operárias agonizando cotidianamente na força de trabalho rotineira, acidentados inválidos, aposentados sucateados com ratos sobre seu fogão,desempregados alcoolizadrros, rebeldes sem causa drogados. A ansiedade cruel e crônica de gente que não tem tempo para sequer evacuar ou se alimentar dignamente, vivendo constipados e subnutridos obesificados por fast-foods e salitres no arroz encruado. Então que resta ao se comprimido e unidimensionado, mão-de-obra do sistema piramidal, senão atender aos instintos de reprodução, aos desejos e fugas sorridentes que se revelam devastadoras para si próprio e para seus próximos, se esquecer diante do jogo na TV ou na multidão de um templo religioso? Acho que continua...

    ResponderExcluir
  14. Pois,assim. A supertecnologia e a superconcentração populacional e de renda são as pedras que constroem a pirâmide de poder de nossa civilização imperialista alienante e alienígena, e vem de tempos remotos esta tendência e seus vícios de comando. O estado de permanente GUERRA intestinal-cívica e ameaça externa produz uma indústria bélica cujos lucros alimenta a pirâmide, exércitos são sustentados a custa também da miséria da população(voces acham que a Alemanha teria saído da miséria sem acabar de vez com a fome de orçamento que seu exércitos demandava? Sobrou dinheiro, mas pagou alto preço com o nazismo). A superconcentração populacional em 'campos de concentração'urbanos tangidos pela ordem policial de Estado também é reflexo da superconcentração piramidal de poder e capital, aqui no Brasil de extenso território e cidades de extensões municipais ermas e mecanizadas por créditos bancários e multinacionais MONSANTO e Cia,cantões, comunidades e assentamentos depauperados, distritos exauridos,movimentos de desterrados,condiz com uma florescente elite latifundiária do agronegócio, ou não? Minha geração cresceu sob o tacão do MEDO sob a ditadura militar, nosso gogó foi cedo estrangulado e fomos facilmente manipulados por forças de direita ou de esquerda, ao contrário da geração atual, só nos restava resistir lendo e aprofundando em meio ao caos da ignorância. Em que pese AINDA as instituições Judicial, de Segurança, Penal, Políticopartidárias, Educacional e a resultante dessa compressão, a Familiar, continuarem a moldagem piramidal do Poder e da Mentalidade Cultural,talvez hoje em dia a juventude teria mais autonomia por meio das relações virtuais em pensar diferente e sem medo, ao ponto de 'bater na cara'dos pais e professores, pequenos tiraninhos em choque ou contribuindo(?)com o Sistema que se tornou uma MATRIX amorfa e onipresente. O poder constituido aparentemente está atordoado momentaneamente com o curso da independência da juventude, mas com CERTEZA suas agências de controle se infiltrarão e moldarão o espaço da INTERNET, questão de segurança nacional e tal, como o grande irmão OBAMA, um democratista, está organizando segundo denúncias atuais. E lá nas ruas, palco da civilidade participativa, não faltarão criminosos e agentes infiltrados pela VIOLÊNCIA para justificar a repressão. Além da pressão inflacionária que as reivindicações de classe projetarão, tais como sindicatos donde emergiu nosso falastrão esquerdóide eleito, que defenestrou momentaneamente o outro esquerdóide liberal do castelo do poder: Lula-FernandoHenrique, faces da mesma moeda. Mas tínhamos que passar por esta fase de esperança em partidos, mas se errar é humano, persistir na ilusão é retrocesso e morte. Mas vejamos outros aspectos da coisa, novos olhos ensejam nova realidade...

    ResponderExcluir
  15. A Pirâmide do Poder, agora Matrix alienante e alienígena, é introjetada por uma educação-compressão desde a própria gestação, ou alguém duvida que a fase gestacionária é imune e que a relação feto-mãe é inter-relacionada com o contexto do entorno tanto próximo como distante? Pelo menos chegamos a um ponto de saber que tudo está inter-atuando, mas nos falta um passo além, que é PERCEBER-SENTIR-AGIR dentro desta PRÁXIS, que nada mais é do que ação holística em sentido pleno. A compressão da infância-juventude se faz dentro da Família-Escola na moldagem do indivíduo massa, identificado com suas muralhas de segurança e em conflito com o outro, a dualidade e a separatividade agem automaticamente neste contexto, tudo se faz codificado e interpretado nesta perspectiva, e aceitamos no mesmo bojo as pseudo-soluções democratóides de impostores representantes eleitos, partidos políticos de assembléias gerados, no máximo, por choques de tendências que ladram como no PT, mas em geral manipulados por oligarcas e famílias que alugam as siglas. Estes caciques, como a midia expòe repetidamente, se toleram e tem o rabo preso para futuras coligações, hoje se mordem amanhã se abraçam, e eu vi as imagens da dupla dinamica Lula-Collor se darem as mãos em nome da 'governabilidade'... e por aí vai. Eis que a moldagem cultural imposta pela pirâmide de poder passa pelo controle igualmente do comportamento sexual e da energia do ser humano, privilegiando a reprodução natural para seus fins, qual seja, a geração de massa humana para o exército de mão-de-obra de reserva, com o desemprego estrutural decorrente e manipulável por políticos orgânicos e agencias bancárias, BEM COMO a válvula de escape de uma sociedade do Espetáculo, sexo descompromissado e virtual, mantendo com isso, pelas duas formas uma DESCARGA VITAL da força vital do organismo humano. Será que é difícil visualizar o que esta descarga acarretará na totalidade HoloCorpoMental do ser humano e de seu ser coletivo? A própria psicologia aceita a premissa de que a masturbação é salutar, mas ainda vai longe a necessária separação entre êxtase ejaculatório no homem e um estado orgástico natural, este decorrente da borbulhante energia tântrica em seu organismo, intercambiada por contatos TÂNTRICOS e não por descargas de volúpias de desejo,posse,ilusão e paixão, donde deságua o mecanismo de reprodução natural indiscriminada e cega, deixando em segundo plano, quase nunca alcançado, a comunhão e congraçamento cultural que seres de alta energia e baixa auto-importância, de egos renascidos na cosmo-comunhão planetária e humana, holossistêmica? Parece utopia aberrante, mas é decorrência dialética da ENERGIA TÂNTRICA HOLOCENTRADA, e é só abrir espaço cultural e mental para esta DEMOCRACIA PLENA HUMANA. Entrementes, se tudo fosse fácil já os antigos sábios taoistas e tântricos teriam transmutado suas nações de origem, mas perderam a carroça da história para modelos heterocráticos de consciencia e poder, basta ver a situação hodierna da China e India. Então há algo mais?

    ResponderExcluir
  16. Continuando, se o cultivo tântrico da energia sexual possibilita uma expansão da consciência e da práxis porque permite a expansão holística da energia original de nosso organismo Holocorpomental, a antiga Kundaline pela visão iogue, ou mais equilibradamente o Qi(Chi)taoista pela rota micro-macrocósmica do organismo, por outro lado, existe o perigo também do poço profundo e abissal do 'carma' acumulado pela prática da sexualidade na pirâmide do poder. Carl G.Jung e seus colaboradores já nos alertava deste inconsciente coletivo,até mesmo naqueles que se entregam sem limites à orgia da libido e são esvaziado em uniões conflituosas e 'proles de descarga' sem compromisso com o futuro de Gaia-Viva. Então é preciso um passo além na Cultura,especialmente num pais multiétnico como o Brasil, uma reconsideração cultural da relevância de Cristo, tanto como arquétipo universal do Anthropos Pleno, libertando sua prisão das gaiolas religiosas e das classes sacerdotais e egrégoras evangélicas, tanto como símbolo de congraçamento místico-espiritual da diversidade cultural e humana, uma ponte de comunhão entre a cultura erudita e universal com a cultura popular espontânea e de coração dos humildes e deserdados deste mundo, destes que o sermão da montanha apontou como herdeiros dos escombros escatológicos da pirâmide de poder. É preciso se lembrar sempre que Jesus era Ieshua, um hassídico peregrino que não tinha onde reclinar a cabeça e repousar exceto no Além-do-Tempo-Eu, o 'Reino dos Céus' como ele comparava, e que exaltava o povo a avançar e 'serem passantes' e pacificadores ativos, e todos serviriam sem serem servos. Mas cabe a nós livrarmos o evangelhos do ranço da repressão sexual e tântrica que a capitulação do cristianismo ao império Romano nos legou. Nos comentários acima tentei deixar alguma contribuição sobre as bases seminais institucionais de uma democracia plena, e busquei avançar mais no forum do Luiz Spinola, democracia-plena-ja do groups.google, o qual parece pouco visitado pelos que querem pensar nossas possibilidades históricas atuais. Agradeço a oportunidade desde já pela modesta contribuição.

    ResponderExcluir

  17. Tenho demorado a participar inclusive porque não sei o motivo que não estou recebendo em meu email o aviso de novos comentários.

    O Marcos fez várias citações corretas, que poderão fazer-nos retornar ao assunto principal proposto : "O problema é como operar isso até sua concretização, está nesse "nó" a proposta de debate e ação"
    E também : ".... mas devemos primar pelo indivíduo."

    O Dinarte também ofereceu boas indicações : Participação Presencial nos Conselhos e atingir mais que 50% de não votantes.

    Vamos, então, partir para ações práticas ? Vamos começar a executar ?....

    Então. convido vocês e outros(as) a criarmos muitos Fóruns para que as opiniões, ideias e propostas práticas tenham um lugar adequado para as suas expressões. Se for uma proposta 100% democrática, teremos que possibilitar todos os tipos e naturezas de Fóruns. O importante é integrá-los.

    Os resultados práticos vão se evidenciando com o tempo. Mas devemos começar o mais rápido possível, para aproveitar o momento de disposição a transformações por parte da maioria das pessoas.

    Se vocês não tiverem facilidade de criar os Fóruns desejados, posso fazê-lo e colocar dois um mais como proprietários e outros como gerentes.

    Vamos, então ?!!

    CRIE OUTROS FÓRUNS....
    https://groups.google.com/forum/#!category-topic/democracia-plena-ja/zCXHai4USSQ

    Abraços e muita luz a todos !!

    ResponderExcluir
  18. Prezada Ravena do Evoluindo Sempre: gostaria de saber o destino dos demais comentários que enviei para esta postagem, posto que queria completar meu pensamento acerca das bases da 'democracia plena'. Como cheguei a ler os demais comentários acima, e os reli e refleti, achei que poderia contribuir e gastei tempo aqui os redigindo. Talvez seja pelo simples fato de v. não ter tido tempo de verificar os envios em seu blog, bem sei, mas acho que senão o assunto esfria e cada um vai cuidar do seu mundo e tal. Saudações. No aguardo, att.Dinarte.

    ResponderExcluir

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".