24 dezembro 2014

Boas festas para quem comemora, bons sonhos para quem vai dormir


O Natal tem origem nas festas pagãs em honra ao nascimento do deus Sol, que agradava tanto aos adeptos do cristianismo até o século 4 que aos poucos foi incorporado pela Igreja para ao invés de comemorar ao deus Sol, se comemorasse “o nascimento” de Jesus. A árvore,  a decoração, os presentes são baseados na cultura pagã. 

Não dá pra simplesmente extinguir ou proibir festas que são organizadas por centenas de anos num simples piscar de olhos, por isso, basicamente “os personagens” de tempos em tempos são substituídos. É muito provável que daqui centenas de anos, o personagem para 25 de dezembro seja outro que não Jesus, mas até lá...

Uma coisa boa da época natalina é o sentimento de gratidão, solidariedade e relativa paz que reina neste dia, se durasse o ano todo, mágicas aconteceriam o tempo todo para todo mundo em todo lugar. Até que este tempo chegue, eu desejo a todos vocês meus queridos leitores e amigos, que seja um dia especial, de muito amor, solidariedade, perdão a quem precisa pedir e ou receber, alegria e principalmente de muita gratidão.
Que esta energia se estenda pelos próximos 365 dias.  

Seja grato pelo ar, pelo Sol, pela chuva, pelo corpo, pela vida e por tudo que você tem recebido do Universo, por toda a informação que conseguiu acumular e tudo que você conseguiu praticar com mais conhecimento. 

Nada de fingimento com os outros e com você, encare as situações de forma positiva, lembre-se sempre que conhecimento trás responsabilidade, se você “sabe” mais, precisa praticar o que aprendeu, caso contrário é energia estagnada e ninguém gosta de ficar parado. 

Procure tornar-se um elo de boas energias, bons sentimentos e quando vibrações negativas lhe invadir a mente, procure observar, aprender e reverter seja lá o que tenha causado. 

Seja muito egoísta!!! 
O que você pensar, fizer e agir, receberá de volta. 

Trechinho do texto do link abaixo
...Faça desse 25 de dezembro, um dia de prazer junto à familiares e amigos para celebrar a vida, para rever aqueles que estão distantes, o ano que passou, suas conquistas e aprendizados. 
Celebre sua expansão de consciência, sua busca, seu saber.  Sinta-se feliz por saber um pouco mais e por manter-se firme na contínua busca...

Boas festas para quem comemora, bons sonhos para quem vai dormir e um grande beijo no coração de cada um de vocês.

Saiba mais sobre a origem do Natal, no link abaixo:
Papai Noel e Árvore de Natal, tem sua origem no xamanismo e nos cogumelos alucinógenos

Ravena 

7 comentários:

  1. Olá Ravena! um excelente 2015 p/ Vc e toda a tua família, estendo tb aos amigos e amigas do blog! agradecemos de coração pela tua constante dedicação e empenho que Vc sempre tem dedicado a este blog, espero que o mantenha sempre assim, isto é, "evoluindo sempre"! até 2015, que promete muito, p/todos os gostos: seca, "petrolão", colisor de hadrons etc... etc...

    ResponderExcluir
  2. Boa virada de ano ravena saude e paz. spock

    ResponderExcluir
  3. Ravena, cade vc? :(

    ResponderExcluir
  4. anonimo a ser censurado19 de fevereiro de 2015 17:03

    Além de discriminar anonimos por ter dificulade em lidar com opiniões idvergentes, este blog parou de defender a Dilma em 24.12.2014. Parou de evoluir?

    ResponderExcluir
  5. A maluquinha desistiu do site.

    ResponderExcluir
  6. Olá Ravena!
    Como vai? está td bem com Vc? não tem mais publicado nenhum artigo, "tese" etc... este ano, 2015, está bem agitado, "inquieto".... dê notícias, por favor!
    abs cordiais! teu admirador, RRBL.

    ResponderExcluir
  7. Joao Ningishzida6 de maio de 2015 06:34

    Agradam-me os valentes, mas não basta ser uma boa espada. É preciso saber também a quem se fere. E muitas vezes mais valentia em se abster e passar adiante, a fim de se reservar para um inimigo mais digno. Por isso ha muitos adiante dos quais deveis passar; sobretudo ante a canalha numerosa que vos apedreja os ouvidos, falando-lhe dos povos e das nações. Livrai os vossos olhos do seu “pro” e do seu “contra”. Ha ali muita justiça e injustiça. Ver tal coisa revolta. Ve-la é investir, é tudo a mesma coisa. Ide-vos pois ao bosque e dai paz a vossa espada. Segui os vossos caminhos. E deixai os povos e nações seguir os seus. Caminhos escuros, na verdade, aonde já não trilha nenhuma esperança. A sociedade humana é uma tentativa. Não um contrato.

    Já não é tempo de reis. O que se chama povo merece rei. Olha como as nações imitam agora os vendedores ambulantes. Aproveitam as menores utilidades em todas as varreduras. Espiam-se, espreitam-se e é a isso que chamam de politica de boa vizinhança. Se os povos tivessem o pão de graça, atrás de quem andariam a gritar? Em que se ocupariam se não fosse da sua subsistência? E é necessário terem uma vida rigorosa. São aves de rapina. No seu trabalho também ha roubo. No seu lucro também ha astucia. Por isso devem ter vida rigorosa. Devem pois tornar-se melhores animais de rapina, mais finos e astutos, animais mais semelhantes ao homem porque é o melhor animal de rapina. O homem arrebatou já as suas virtudes a todos os animais. Por isso de todos os animais é o que tem tido a vida mais dura. Só as aves estão acima dele. E se ele aprendesse a voar a que altura voaria a sua rapinagem!

    Pergunto: Em quem se encontra o maior perigo do futuro humano? Não é nos bons e nos justos? Nos que dizem e sentem no seu coração: nós sabemos já o que é bom e justo, e possuimo-lo. Desgraçados dos que ainda querem procurar aqui. E por muito mal que os maus possam fazer, o que fazem os bons é o mais nocivo de tudo. E por muito mal que os caluniadores do mundo possam fazer, o que fazem os bons é o mais nocivo de tudo. Alguém olhou uma vez o coração dos bons e dos justos, e disse: “São os fariseus”. Ninguém, porem, o entendeu. Os bons e os justos mesmos, não o deviam compreender: o espirito deles é um prisioneiro da sua consciência. A verdade, porem, é esta: é forçoso os bons serem fariseus. Não tem escolha. É forçoso os bons crucificarem o que inventa a sua própria virtude. É esta a verdade.
    Outro que descobriu o seu pais – o pais, o coração e o terreno dos bons e dos justos – foi aquele que perguntou: “A quem odeiam mais?”
    O criador é quem eles mais odeiam. Aquele que quebrar tabuas e estranhos valores, ao destruidor, a esse é quem chamam de criminoso. Que os bons não podem criar... São sempre o principio do fim.
    Crucificam aquele que escreve novos valores em tabuas novas. Sacrificam para si o futuro. Crucificam o futuro inteiro dos homens. Os bons sempre o principio do fim. Os bons ensinaram-vos coisas enganadoras e falsas seguranças. Nascestes entre as mentiras dos bons e haviei-vos refugiado nelas. Os bons falsearam e desnaturalizaram radicalmente as coisas. O homem é o mais cruel de todos os animais. Vivem satisfeitos na terra, assistindo a tragédias, crucificações, a lides de touros, violência social, policial e de Estado. E quando inventou o inferno foi esse o seu céu na terra. Como é pequeno o pior e o melhor do homem! Quereis vos curar? Cura a tua alma com cantos novos, para poderes sustentar o teu grande destino, que ainda não foi destino de ninguém.

    From: And thus spoke Zarathustra - The old and the new

    ResponderExcluir

Comentário anônimo não será mais publicado devido a inúmeras discussões sem o menor sentido que alguns sem sintonia nenhuma no blog insistem em discutir com o objetivo de tumultuar o espaço que é feito para complementar e compartilhar informações e opiniões (não ofensas), a identificação também facilita o "diálogo".